49/2020: O NAVIO E O GRANDE SEGREDO

"Da sua boca nasce um rio que sobe 
lá em cima se aglomera
transformando-se em sol".

Olá! Como estão?
Bom, a resenha de hoje traz a poesia como uma linda forma de nos conectarmos a um semana que temos certeza de que será próspera. 
Tais palavras nos permitirão suavizar qualquer percalço, e por isso os convido a me acompanharem!

48/2020: MELINA CRÍVEL

"Melina não era como as outras garotas. Ela era uma Crível, herdeira de seres mágicos que viviam neste mundo tão diverso."

Oi! Como estão?
A resenha de hoje traz a magia através da história de uma mocinha curiosa, que vive em um meio completamente fantástico!
Venham conferir!


Título Original: Melina Crível

Autoras: Ingra Danielle

Ano: 2019

Páginas: 223

Editora: Plus + Editora

Sinopse

Após ganhar uma pulseira que intensifica seus poderes mágicos, Melina Crível se sente pronta para utilizar seus dons incríveis. Mas, entre uma mágica e outra, a jovem acaba criando uma Poção Perfume. Como consequência, ela é mandada para outra cidade. Lá, ela passa a morar na Casa-Monstro com sua tia Constanza e seu tio Cosmo, responsáveis por ensinar sua sobrinha a controlar seus poderes. É então que, junto com seus três ursos de pelúcia encantados e Gaspar, o menino-brigadeiro, Melina encara diversas aventuras ao lado de criaturas mágicas para lá de divertidas. Até que Edmundo, o filho do futuro, atravessa o espelho mágico pronto para contar à Melina o que vai acontecer em sua vida. Estará a jovem pronta para encarar seu futuro? Embarque nesta
leitura e descubra que, para um Crível, tudo é possível!



Uma mocinha diferente das demais, Melina ganhara uma pulseira que lhe ofereceria magia.
Esse objeto se adequaria à sua personalidade.
Algo crível. 
Incrível!
Que deixara seu pai muito feliz, já que a ela, sua caçula, estaria sendo entregue a energia de gerações da Família Crível.

" — Fadas são pequenas e apenas incríveis — afirmou Melina. — Eu sou mais que isso. Eu sou Crível!


Melina descobre a amizade.

Metia-se constantemente em encrencas. 

Sua curiosidade, típica de sua personalidade, mas também de toda a magia envolta em seu dia a dia, fez com que quisesse estar buscando formas adversas de usar o dom a ela concebido através de sua pulseira por ser uma Crível.

Era tão desafiadora consigo mesma que o tempo todo estava a tentar novas mágicas, descobrindo, inclusive, novas sensações.



Na família, cada Crível tinha sua função pré-estabelecida. Legados eram importantes a eles.

Por isso, a menina, que ousava tão astuta com sua energia mágica em tão pouca idade, deveria ser treinada para controlar o dom que herdara de sua tia Constanza.


Seria Melina mais Crível que os demais?

— Sou uma Crível, de sangue incrível e nada comum."

Na história, aromas e sentimentos tinham cores específicas que misturavam-se a formas, como bolinhas de cor lilás que se moviam no frasco de sorrisos da juventude apaixonada, por exemplo.

O livro desperta no leitor, de qualquer idade, a graça por ousar compreender a magia que há nas emoções de uma criança, seja por meio das fantasias, das cores, das palavras...

... ou de tudo unido, como quando Melina resolvia criar uma poção, ou expor suas peraltices.

"Dentro de cada criança talvez haja um grão de cada sentimento. Quando misturados, esses grãos geram uma só emoção de cada vez. Por isso, as crianças tendem a ser mais sinceras que os adultos."

 
Uma narrativa fantástica, com diálogos bem construídos.
As descrições são leves, com capítulos curtos e cheios de muita mágica, cheiros, e sabores que nos recordam infância e adolescência — fases que conseguimos observar a protagonista em suas ações, acompanhá-la nessa transição, o que nos dá, a cada final de uma parte da narração de Ingra Danielle, a vontade de continuar a leitura.
 
"Quanto mais velhos, mais esquecemos as coisas de criança."

A história, com uma capa belíssima, diagramação e artes perfeitas, bem dentro da proposta, trabalha o valor da amizade, a importância da família, além de unir passado, presente e futuro;

Valoriza a natureza, além da mescla de magia e tecnologia.


Fala do 
"... viver um dia de cada vez e deixar que as coisas aconteçam ao seu próprio modo".

47/2020: ELA DISSE

"Mas ver que as descobertas que tínhamos feito após uma investigação exaustiva ajudavam a realinhar posturas nos levou a perguntar: 'Por que escrever essa matéria?'. Como disse um dos nossos editores, Harvey Weinstein nem era tão famoso assim. Num mundo onde tanta coisa parece estagnada, como uma mudança social sísmica dessas acontece?"

Oi! Como vocês estão?
Espero que bem, pois hoje quero conversar sobre uma leitura muito rica, que com certeza trará a quem ler conteúdo a reflexão acerca de temas como exploração e abuso sexual no ambiente de trabalho dentro de um literatura não fictícia.

46/2020: CONTO A LÂMINA RUBRA

"Alguns grãos de areia vibraram próximos aos meus pés. Ao meu redor, uma multidão faminta por combate e glórias. Formando um círculo no centro da arena, eu, meu melhor amigo Gladius e mais seis competidores. E no epicentro, o mestre de cerimônias discursando ao lado de uma espada de lâmina rubra encravada numa pedra".

Olá, como estão?
Tudo certinho?
Espero que sim!

A resenha de hoje é de um conto que li em janeiro (acho que já estava passando da hora de trazer para vocês as minhas impressões sobre este trabalho tão bonito e bem escrito!). 
Eu falo do conto A Lâmina Rubra, de Bernardo Stamato .