LITERACURA: LITERATURA COMO VÁVULA DE ESCAPE X LITERATURA ENQUANTO FUGA

 

Vamos iniciar com uma pergunta:

Como você utiliza a leitura no seu dia a dia?

Pois bem, vamos refletir um pouco...

A literatura faz parte da nossa vida desde sempre. Bem antes de sabermos ler e escrever, já fazia parte do nosso cotidiano e já amávamos aqueles contos infantis. Provavelmente, você irá lembrar de alguma história favorita que te contaram quando ainda era criança.

Então, parem um pouco para pensar:


Como conseguiríamos chegar onde chegamos, a uma formação, a uma profissão, se não fosse por ela, a Literatura?


A literatura é uma das principais formas de expressão das emoções, sentimentos e experiências.

Através dela, as ideias serão processadas a fim de auxiliar na forma de conexão entre o autor e o leitor.

Pela leitura, conseguimos aprofundar-nos em um mundo interior, revertendo o olhar para dentro e, desta forma, vemos a possibilidade de analisar melhor a vida, através de uma autorreflexão daquilo que acabamos de ler e de apreender. Essa “autorreflexão” gera questionamentos, como, por exemplo:


Por que estou lendo este livro?

O que quero buscar nesta leitura?

Em que esta leitura vai acrescentar em minha vida e como posso fazer para que isso faça parte do meu autoconhecimento?


Entretanto, a literatura pode ter dois vieses, podendo ser vista pelo leitor como uma válvula de escape ou como uma ferramenta capaz de lhe propiciar uma espécie de fuga.


Você sabia disso?


Vamos entender o que é válvula de escape e o que é fuga e veja como cada uma delas se encaixam em sua vida literária:

Válvula de escape é o momento de lazer, de relaxamento, como fazer uma atividade física, sair com os amigos, viajar, assistir a um filme, ler um livro.

Momento este que se faz necessário após uma jornada exaustiva de trabalho, por exemplo.

Já a fuga é a ação ou efeito de fugir, um estado de certa perturbação psicológica, de curta duração, mas que leva o indivíduo a buscar ausentar-se ou desprender-se da realidade.

A fuga caracteriza-se em sair de uma situação ou de si mesma, pois está em um grau elevado de sofrimento e não consegue lidar com suas próprias mazelas, medos, levando o indivíduo a optar por buscar coisas, lugares, pessoas ou momentos para realizar tal ação. No momento, a pessoa apenas deseja ficar sem pensar ou sentir a sua dor.

Fugas estão inseridas em diversas formas, psicologicamente falando, como em bebidas, drogas, sexo, consumismo, compulsão alimentar, entre outros. São momentos aparentes de prazer e, por detrás, apenas, uma tentativa de calar um sofrimento que o indivíduo ainda não consegue resolver.


E para você, a leitura é válvula de escape ou fuga?

Bora conversar um pouquinho??




Dra. Josiane Faltz Psicóloga Clínica na abordagem Terapia Cognitivo Comportamental e é especialista em Neurospicologia, realizando avaliação neuropsicólogica.




Beijos literários e de muita reflexão!

 

20 comentários

  1. Eu uso a literatura como hobbie, para esquecer do meu cotidiano que é bem atribulado e agitado. Nada como encerrar o dia lendo aquela obra que tanto gosta do seu autor predileto. É uma sensação incrível!!!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza eu uso a literatura como válvula de escape. Penso eu que quem usa ela para fuga tenha a tendência de fugir de outras coisas também , como por exemplo resolver um problema tanto interno quanto externo, na minha opinião a pessoa que usa a literatura ou qualquer outra coisa como fuga, precisa de certa ajuda as vezes mais simples mas as vezes a ajuda de um psicólogo mesmo , pois fugir das coisas não é bom por mais difícil que seja temos que encarar nossos problemas e questões de frente para conseguirmos resolver e colocar um ponto final naquilo , para poder continuar nossa vida de forma mais leve e tranquila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo contigo, Isa! Precisamos separar um pouco, equilibrar, termos consciência de que, ao fecharmos um livro, lições poderosas nos são deixadas, mas realidade é diferente de ficção no sentido de que a vida nem sempre tem final feliz! Bjs

      Excluir
  3. Oi Ana! Como já comentei lá no Instagram, acho que quando criança a leitura funciona para mim como uma espécie de fuga. Eu era muito tímida e muitas vezes me refugiava na biblioteca enquanto as outras crianças estavam brincando e me perdia em meio as histórias. Na adolescência isso mudou e desde então vejo a leitura como uma válvula de escape, um hobbie para relaxar. E é também uma ferramenta de aprendizado, além dos meus amados livros de ficção também tenho lido livros de desenvolvimento pessoal, organização e produtividade, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Ju! Vc complementa com equilíbrio um pouquinho de cada situação. Esse e mesmo o caminho! Quando a gente se conhece, tem possibilidade de separar cada questão. Bjkas

      Excluir
  4. Hoje válvula de escape. Mas na minha infância e adolescência foi uma fuga permanente que me permitiu passar pela escola onde eu não me adaptava, pela insegurança de não me achar bonita ou legal o suficiente (na minha lógica eu pensava "não sou bonita, nem popular, ao menos sou a mais inteligente), pelas rejeições amorosas frequentes (pensa numa adolescente solitária? Era eu).Ainda bem que as coisas mudaram bastante depois dos 25 anos...rs...

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto aprendizado! Sabedoria que foi buscando nas vivências, no autoconhecimento. Imagino mesmo que não tenha sido fácil! Eu também era um tanto só, de poucos amigos, tímida... E a leitura também contribuiu e muito para meu crescimento pessoal. E a escrita também! ;)
      Bjs

      Excluir
  5. Seguindo esse pensamento apresentado, acredito que a leitura tem sido pra mim mais uma Válvula de escape mesmo. Porque é um momento prazeroso de lazer pra mim. Vejo a leitura como uma forma de terapia também. Acabo me sentindo menos ansiosa e mais centrada quando estou lendo algo. Dá até uma sensação de êxtase indescritível quando finalizo uma leitura que gostei muito e a experiência só me fez bem psicologicamente igualmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho a leitura enquanto um recurso a mais, uma espécie de terapia, como bem disse!

      Excluir
  6. Pra mim hoje é um hobbie, mas já foi uma fuga na adolescência, ou melhor era uma mistura de fuga com curiosidade . Que bom que hoje leio por prazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom mesmo! E é muito interessante propagarmos o prazer que as leituras nos propiciam! Grande beijo!

      Excluir
  7. Oi Ana, tudo bem? Tenho acompanhado o projeto lá pelo instagram e achei a ideia bem criativa. Acredito que a leitura em si tem várias abordagens, e cada pessoa enxerga isso de um jeito diferente. Desde criança sempre gostei muito de ler, estudar e aprender coisas novas. Então a leitura tem esse papel pra mim me possibilita aprender algo novo. Outra coisa que gosto também é História/Geografia e isso aprendemos muito independente do gênero. Não é incrível ler uma história ambientada na Escócia como Outlander? Um 2021 abençoado pra você! Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leitura enquanto constante aprendizado de coisas novas! Adorei! E sim, é mesmo maravilhoso nos ambientarmos onde autores ousam nos conduzir! Bjs

      Excluir
  8. Oi, Ana!

    Adorei o texto. Olha se eu for olhar hoje, posso dizer que na maioria das vezes uso a leitura como válvula de escape. Acho que em uns 95% das vezes, inclusive.
    Porém,ainda tenho meus momentos de fuga que geralmente surgem como um ônibus muito cheio em um trajeto muito demorado, uma longaaa fila de atendimento, um alto tempo de espera no ponto de ônibus... Nesses casos eu me desligo de propósito mesmo, pra fugir da irritação da realidade.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiee! Méritos da Dra. Josiane Faltz nesse texto!
      Hummmm, sobre a fuga, você trouxe um aspecto interessante! Uma fuga momentânea. Também já me arrisquei dar umas fugidinhas pra dentro de livros enquanto estava em filas, por exemplo! ;)
      Bjs

      Excluir
  9. Pra mim funciona como válvula de escape, embora em incomuns momentos ela sirva de fuga tbm. Quem nunca? Hehee
    Excelente postagem. Parabéns pelo trabalho 👏👏👏👏👏🖤
    Tschüss 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! Quem nunca!?
      Até mesmo pq são situações distintas!
      Bjs

      Excluir
  10. Olá cara mia.
    Leitura para mim é prazer, entretenimento, distração. Sou leitora desde a infância e tenho preferência por livros a filmes, novelas e afins. Gosto de sair com um livro em mãos e ler nos intervalos das atividades. Relaxa, distraí... o mesmo efeito da televisão.
    Mas eu leio a trabalho também, na qualidade de editora.
    Válvula de escape para mim é um mergulho na piscina ou no mar, em que eu silencio todas as coisas e fico lá no azul. E fuga... bem, não sou de fugir de nada. Até porque a fuga tem um preço, em algum momento você terá que encarar. Então, bato de frente para não deixar para depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!! Olhe, também não sou de fugir de nada não! Hahaha! E sabe que justamente em horas assim as leituras me ajudam a encarar o mundo e as situações de frente!? E assim surgiu o café com Leitura, inclusive!
      Bjs

      Excluir