55/2020: MIL QUILÔMETROS MAR ADENTRO

"Quem gosta do mar tem que gostar do céu, dizia seu tio Plínio. Gostar do céu era gostar das estrelas e saber guiar-se por elas. Entes celestes. Gostar do céu é entender os sinais das nuvens, as mensagens dos ventos. 'No alto-mar o homem está mais perto de Deus. Vive a imensidão da criação'..."

Oi, oi! Tudo bem?

Espero que sim! 

É que hoje vamos falar um pouco de uma história que conheci através da parceria com o Programa de Fomento à Leitura, proposta belíssima da Editora Inverso.


Título Original: Mil Quilômetros Mar Adentro

Autor: Ariel Seleme

Ano: 2020

Páginas: 353

Editora: Inverso 

Sinopse

Viver no exterior. Ver o Brasil do outro lado do oceano. Histórias de gente e país. Romance e descobrimento de outras formas de viver. Mil Quilômetros Mar Adentro fala do encontro de outras culturas.


Neste belo romance de Ariel Seleme, o jovem Ariosto conhece a perda muito cedo. 

Filho do Sargento Prudente e da dona Cândida, sua relação com o mar e as águas vem de sua infância, envolvendo inclusive as perdas gradativas de seus pais, o que fez com que fosse criado por Adamastor, homem de confiança na condução dos negócios da família que, na ocasião, era uma peixaria.

Ao crescer aprendendo com seu tutor, Ariosto torna-se, talvez também por isso já estar enraizado em suas veias, um bom empreendedor, fazendo com que a Peixaria de seu pai se transformasse num grande supermercado.

O jovem virara, de maneira precoce, um homem respeitado na localidade onde residia e tocava seu estabelecimento. 

Era acolhedor, preocupado com o bem-estar de seus funcionários. E gostava de ajudar os mais necessitados.
"O mar batia nas pedras e a bruma de água salgada subia até a varanda. Ele foi à varanda e viu a Beira com suas luzes, o farol no final do horizonte."
Ao investir no melhor para seus funcionários, logo lhe veio a importância da educação. Para ele, os estudos poderia lhes oferecer um espaço digno na sociedade. Foi então que conhecera  Aurora, seu primeiro grande amor, que lhe fora arrancado brutalmente pelo destino, o que, consequentemente, lhe sugeriria uma mudança brusca na rota de seu destino.

É então que Ariosto decide prestar concurso para a Marinha do Brasil.
Ele passa, e torna-se faroleiro.

"Mais uma vez, amor e morte mudando a vida, reconstruindo o futuro, refazendo destinos."
Em sua trajetória "Mil Quilômetros Mar Adentro", o protagonista, através de uma narrativa leve e bastante fluida, consegue nos cativar a ponto de fazer com nós, enquanto leitores, acabemos por esperar, a cada capítulo, por suas reviravoltas, seu amadurecimento enquanto alguém bondoso, até ingênuo, mas que, através de tal simplicidade, acaba por nos encantar.

"— Nosso horizonte é o mar. O infinito mar que liga os povos do mundo. Faroleiro, você é o braço mais longo da nação brasileira".

Em suas aventuras, acaba sendo testado, impondo-lhe a necessidade de bravura e coragem, o que muito bem é descrito pelo autor.

Você deve estar se perguntando se Ariosto, que teve uma perda amorosa tão jovem, novamente encontraria o amor.  

Nada mais que justo! 


Num belíssimo e muito bem trabalhado livro escrito por Ariel Seleme, ler e sentir a cultura por meio de uma obra tão rica em narrativa, em caracterização dos personagens, diálogos bem construídos, além da boa construção dos espaços por onde esses trafegam, nos dão a deixa de uma linda indicação literária!

"O vento trazia o fresco aroma do mar. A casa branca radiava a luz do sol e brilhava em beleza, como diamante".


Por hoje é isso, pessoal!

Espero que tenham gostado dessa dica tão bonita da literatura nacional a nós trazida pela Editora Inverso.

Beijos Literários!


 

 










9 comentários

  1. Que lindo, adoro livros que tenham o mar e seus mistérios como uma das personagens, foi assim com Mar Morto, obra inesquecível para mim. Esse fala de perdas e recomeços, deve ser inspirador! Sugestão anotada 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sim, inspirador! Muito bem Escrito por sinal! Fica a dica!😉 Bjs

      Excluir
  2. Que capa linda! Gosto muito de histórias de aventura, que contam os altos a baixos de um personagem mostrando com isso a evolução dele. Me parece um ótima dica de leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, de fato uma bela capa, com uma super proposta! Realmente há a evolução e amadurecimento de Ariosto. Uma boa leitura!

      Excluir
  3. Preciso admitir que esse livro me ganhou de cara só pela capa, hehe Mas a premissa também me encantou, e as suas impressões me deixaram curiosa pra ler! Amei as fotos do post, bela resenha <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Belas capas são característica da Editora Inverso. E condizentes com a premissa do autor. Que bom que gostou! Obrigada!

      Excluir
  4. Deve ser uma história muito interessante, uma leitura gostosa dessas para serem feitas no canto do sofá... sua resenha me levou para outros mares.
    Quando criança eu visitei um Farol na Sardenha e ouvi tantas histórias que me levou a querer ser uma faroleira. Em Gênova também tinha um Farol (lenda local) mas não tinha tantas lendas quanto os da Sardenha e seus muitos casos de amor.
    Viajei em todos os sentidos... eu tenho um enorme respeito pelo mar e suas ondas. Sou apaixonada pelo Mediterrâneo e pelo céu de alguns lugares, de onde se pode iludir-se com o toque.

    bacio

    ResponderExcluir
  5. Menina, nunca visitei, que me lembre, um farol. A Leitura me fez até ousar recordar. Sabe essas Leiturs que vc tem vontade de fazer num canto, na madrugada, exatamente assim que senti de fazer. O Escritor foi fabuloso! Ariel Seleme também me conduziu mar adentro! Bjs

    ResponderExcluir
  6. Nossa, esse livro já me ganhou pela capa! E a trama meio que envolta no mar e seus mistérios me chamou a atenção também, além do personagem Adamastor (o que me lembrou de "Os Lusíadas" *_*)
    Parabéns pela resenha e obrigada pela dica de leitura.
    Beijinhos e ótima semana.
    https://lendocomosgatos.wordpress.com/

    ResponderExcluir