32/2020: HORROR NA COLINA DE DARRINGTON

"Colina de Darrington. Ao ouvir aquele nome, minha mente reproduziu com exatidão o som de um disparo de arma de fogo. E as lembranças começaram a voltar como uma avalanche. (...) Estavam todos mortos."
Olá, como estão? 
É feriado e eu, na minha deliciosa solidão, com uma xícara de café a me acompanhar, me pego a escrever a resenha de um livro que li super rapidinho.

Se vocês curtem, assim como eu, histórias de terror tão bem escritas que te prendem e te fazem querer logo em mãos a continuidade, a pedida é esta a qual iremos papear!


Título Original: Horror na Colina de Darrington

Autora: Marcus Barcelos

Ano: 2016

Páginas: 144

Editora: Faro Editorial

Sinopse


Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.


No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.

Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente…

Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade.

Onde termina o inferno e começa a realidade?



Benjamin Francis Simon, o Benny, ou Ben, narra, de dentro de um sanatório, uma história macabra que lhe ocorrera quando tinha apenas dezessete. Onze anos já se passaram...

Benny era órfão de pai e mãe. Crescera num orfanato em New Hampshire, até que, certo dia, seu tio Romeo, irmão de seu pai, aparecera de modo a conhecê-lo e aos poucos se aproximar do menino que, mesmo continuando a  morar no orfanato, passou gradativamente a ter mais contato com a família, composta por seu tio, sua esposa, a tia Júlia, e sua prima Amanda.
O jovem passou a frequentar o apartamento da família nos finais de semana. 

Com o nascimento de sua prima Carla,viram a necessidade de um espaço maior para morar, com mais comodidade, paz e tranquilidade ao crescimento da menininha (ledo engano!). Assim, optaram por mudarem-se para uma casa. Romeo procurara e encontrara. Entretanto, a residência teria ficado muito conhecida pela tragédia ocorrida no local. Ainda assim,  mudaram-se para lá. 

Após um trágico acontecimento que teria abalado toda a localidade, a moradia ficara muito conhecida como "a casa da Colina de Darrington", título empregado e utilizado inclusive pelos meio de comunicação. Eles possivelmente viveriam certa continuidade de uma espécie de "Horror na Colina de Darrington".
"Esta casa tem segredos, por isso a escolhi! Você não estava louco quando me ligou... Não, senhor, estava apenas tendo um vislumbre daquilo de que esta casa é capaz! E hoje, mesmo com os contratempos que vocês tentaram impor, a entrada se abrirá e o inferno, enfim, mostrará sua verdadeira face."

Tudo realmente parecia estar no mais perfeito sossego. Carlinha crescia como esperavam, Amanda indo para a faculdade, tia Júlia, que era escritora, escrevia seu livro com prosperidade e fluidez, até que, inesperadamente, sofrera um derrame sem explicação aparente, necessitando afastar-se de seu trabalho, da educação de sua filha menor, ficando trancada em seu quarto a base de medicamentos. 

Como Romeo necessitaria fazer jornada dupla no trabalho, chamou Benjamin a passar um tempo com eles para que lhe ajudasse a cuidar de sua prima. Por ter uma intensa relação de proximidade com a criança, ele decide ir. E seria a partir dali que seus maiores pesadelos começariam a acontecer.
"A casa estava silenciosa e as janelas balançavam num ritmo desordenado por conta do vento. Como num déjà-vu, saí do quarto e comecei a caminhar devagar pelo corredor. Só que dessa vez eu me sentia estranhamente incomodado, com uma horrível expectativa de olhar para a viga no final da escada. E,  como se algo me tentasse, não consegui evitar. Olhei, mas não havia nada.".
Fato é que Ben acabara por envolver-se em muitos mistérios, casos de mortes e situações que o levariam ao caos total. Estaria ele mesmo louco? Seriam devaneios, ou tudo aquilo estava deveras acontecendo?

A partir do trágico ápice da narrativa de Marcus Barcelos, o protagonista precisa conviver com seus próprios demônios.
"Passei a duvidar da minha própria sanidade e me flagrava discutindo com as vozes na minha cabeça cada vez com mais frequência. Ninguém queria ficar perto de mim, mas isso não me incomodava".
Ao início de cada capítulo, informações documentais são expostas ao leitor com o propósito de norteá-lo sobre a tragédia ocorrida na Colina de Darrington anterior à chegada da família de Benny ao local, conforme a perfeita narrativa fictícia do escritor.

  • Afinal, que espécie de horror decorria-se naquele lugar?
  • O que tanto atormentava aos moradores daquela imponente, misteriosa e amedrontadora casa?
Rituais macabros, ocultismo, pessoas conceituadas, respeitosas e poderosas da cidade estariam envolvidas. Pessoas próximas de Ben também estariam?

Artifícios malévolos, mentes cruéis, torturas. Illuminati...

... que seria isso, afinal de contas?
"― Muito medo! Muito medo, Benny, é muito assustador! ― ela berrava chorando. Mas, logo em seguida, parou e me encarou com os olhos vidrados. ― A ESCURIDÃO ESTÁ CHEGANDO!"
Toda essa monstruosidade em Darrington perpassou pela vida de Ben, como dito, quando ele tinha dezessete anos. Contudo, já aos vinte e oito, preso num sanatório desde então e, dado como louco, ele recebe uma visita inesperada, o que faz com que perceba que tudo aquilo não deveria ter acabado, e que precisaria investigar a fundo toda uma rede de conspiração que colocara em cheque amargamente a sua sanidade.

Ele decide que tudo aquilo tinha que ter um fim, o que terá continuidade em Dança da Escuridão, seu próximo livro, e que eu não vejo a hora de manusear! ;)


Vencedor do Prêmio Internacional Wattys, no Wattpad, e com mais de 1.000.000 de leituras, Horror na Colina de Darrington foi um livro que gentilmente recebi através da parceria com a Faro Editorial , visto que conheci a escrita de Marcus Barcelos ao ler Vozes do Joelma, em que o escritor nos traz brilhantemente o conto "Os Treze".

Aliás, por falar em Vozes do Joelma, lá no canal vocês encontram uma playlist que é um diário de bordo com cinco vídeos em que eu falo de cada conto contido no livro e a apresentação de Tiago Toy. 

Aqui, vocês também podem conferir cada resenha, com as minhas impressões sobre cada conto e a apresentação do livro, assim como o conto do escritor em questão.


"E muito em breve todo o horror que eu vivi em Darrington pareceria um inocente passeio no parque. A diferença era que, desta vez, eu estaria preparado."
Sobre o autor
Marcus Barcelos nasceu no Rio de Janeiro, em 1989, onde mora até hoje. Graduando em Jornalismo e estudando Roteiro Cinematográfico na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, é ávido por literatura e começou a escrever aos dez anos de idade. Encontrou nas histórias de terror a sua paixão e têm como inspiração os grandes mestres Stephen King, H.P. Lovecraft e Edgar Allan Poe.
Marcus também é um dos Embaixadores Internacionais da plataforma Wattpad no Brasil, onde conta com milhares de seguidores.
Além da literatura, Barcelos também é apaixonado por esportes: é treinador de Boxe Inglês da Federação do Estado do RJ, atleta de CrossFit e surfista, mas só nos finais de semana. Ou quando o mar está bom, sempre entre uma morte ou outra de seus personagens.

Uma escrita bonita, condizente com a sua proposta aos leitores, o que "casa" com a diagramação, a arte e o corte do material, que são lindíssimos, assim como uma capa, que atrai qualquer um que, ao comprar, verá que fez um bom negócio, já que tudo nos leva a crer que a história do monstro da Colina, como Benjamin Francis Simon ficara conhecido, é uma impecável mistura de ficção, horror e suspense da Literatura Brasileira.

Beijos Literários!

9 comentários

  1. Esse foi uma de minhas melhores leituras da Faro, confesso que a obra me deixou fascinado. Marcus Barcelos soube desenvolver uma narrativa fantástica e repleta de elementos sobrenaturais que me conquistou e me deixou ligado o tempo todo na leitura. Eu recomendo fielmente essa leitura para todos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também me encantei com a narrativa simples, rápida e envolvente!

      Excluir
  2. Parabéns pela resenha. Parece muito bom, eu curto suspense, nem tanto terror, mas esse parece um destes que me fariam abrir uma exceção. Já faz alguns anos que busco coisas mais leves e neste momento então ... porém, dica anotada :)

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Te acompanho com o café!!! Em relação ao gênero evito, mas quero muito ler Vozes do Joelma...
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Eu fiquei na dúvida se o livro era nacional ou não, por conta do nome do autor e o nome do personagem. Depois, a dúvida morreu. Até porque lembrei dos teus vídeos de Vozes da Joelma, muito bons por sinal (pra quem ler esse comentário, recomendo). Enfim, sua resenha tá super completa e adorei conhecer um pouco mais do Marcus. Graças a ti, a Faro tá na minha lista de leituras toda hora!

    ResponderExcluir
  5. Ouvi falar pela primeira vez desse autor no seu post sobre o Vozes do Joelma. Fui procurar mais sobre ele e acabei me deparando com esse livro, que já coloquei na minha lista de lituras. Depois de ler seu texto fiquei ainda mais curiosa. Estou evitando compras nesse período, mas quero ler assim que possível.Achei incríveis as ilustrações e gostei também de ter essas "informações documentais" acompanhando a história.

    ResponderExcluir
  6. Quando já começa num sanatório eu já sei que vai dar M. Gente, não entrem em nenhum lugar abandonado ou provavelmente assombrado. Esse livro deve ser assustador, tô precisando disso porque tá difícil encontrar um bom livro de terror ultimamente.

    ResponderExcluir
  7. Que incrível, uma trama de terror muito bem elaborada, com muito suspense e nuances psicológicas, gosto muito desse estilo! Fiquei intrigada com os segredos que rodeiam os acontecimentos sinistros da narrativa.

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto de histórias do horror, mas algumas me perturbam e não é pelo horror e sim pelo argumento. Eu gosto da proposta da casa e da maneira como algo horrível parece viver ali e emerge em determinado momento. Me lembra de "a origem do mal" e outros tantos filmes e livros que vi e li. Mas esta aí a questão: o argumento se repete. Dá para fazer uma lista de livros e filmes que partem desse lugar. E por mais que o autor se esforce em ir por outros caminhos, parece que em dado momento, são obrigados a passar por todos os elementos conhecidos. Acho que por isso me afastei do gênero.
    Espero que a explicação da trama lhe agrade. Aliás, me chamou a atenção a narrativa partir de um sanatório. Gosto desses cenários que são mórbidos e com histórias bizarras.
    Enfim, o último livro do gênero que eu li foi "o homem de giz" e foi um terror realmente. Li a duras penas.

    ResponderExcluir