27/2020: VENTOS NÔMADES

"Me perguntei se fé deveria ser assim, uma gaiola dourada que nos impede de viver, de aproveitar as coisas boas da vida. Não seria fé algo mais íntimo, que nada tinha a ver com coisas exteriores à alma?"
Olá, como estão todos por aí? Espero, sinceramente, que estejam bem! 

Hoje eu quero conversar aqui sobre um livro que comprei na Bienal do Rio 2019 e que só agora, mas creio que no tempo certo das coisas, muito me contribuiu com uma vontade incrível de continuidade a conhecer uma escrita tão forte e ao mesmo tempo tão gostosa, que me fez sentir certa ânsia por voar através das palavras da autora.

Bora conferir de qual livro estou falando? ;)


Título Original: Ventos Nômades

Autor:  Manuela Marques Tchoe

Ano: 2018

Páginas: 102

Editora: Pendragon

Sinopse

Quantas vezes numa viagem nos permitimos ver a vida com outros olhos?

Em Ventos Nômades você encontrará dez contos que cruzam continentes, exploram o choque de culturas e novos horizontes além das fronteiras tupiniquins.

Você largará tudo em busca do sentido da vida com Guilherme até chegar ao mais antigo templo do sudeste asiático. Com uma americana à beira da morte, receberá um sopro de vida na ilha grega de Creta. E se embrenhará junto com dois amigos nos segredos judaicos de Praga.

Ventos Nômades é um convite a viajar pelo mundo.




Livro em que a autora Manuela Marques Tchoe apresenta dez contos breves, de leituras rápidas, com um simples vocabulário, mas que norteia quem lê a viagens e a aventuras diversas, que perpassam pelos continentes.

Em cada conto, o leitor tem a possibilidade de conhecer histórias de pessoas de origens, culturas, crenças e diferentes filosofias de vida que, num certo despertar para sua existência, tomam decisões, algumas vezes que chocam, mas que acabam sendo compreendidas e que nos acolhem de maneira a nos sentirmos conduzidos e até nos identificarmos.
"Estava convencida de que que precisava desse tempo só, procurando pela identidade de alguém que há muito tempo não sabia mais quem era."

São histórias de brasileiros que vão viver fora e, na solidão e na ausência de casa, se encontram em amores estrangeiros; ou devaneios, mistérios e magia envoltos à decisão por largar casa, trabalho e a dúvida pela famosa "crise de meia idade", em busca de ressignificados e conexão com seu próprio interior; há vidas nômades em prol do encontro cara a cara com a liberdade, através de reflexões, uma mochila nas costas e a decisão por "arrancar suas próprias correntes" pela Velha Constantinopla...
"O tal desejo de explorar o mundo, o Wanderlust, me enchia de sonhos em terras distantes, mas o lugar onde nasci me prendia, me pedia pra ficar como uma fitinha do Senhor do Bonfim no pulso".
A cada narrativa parece  que a escritora vai achegando-se ainda mais ao leitor, como se nos tornássemos íntimos.

Suas tramas permitem-nos pensamentos e questionamentos que trazem à tona conflitos internos de seus protagonistas inerentes às realidades humanas.



Em um desses, narra a morte com certa beleza de nos rasgar a alma.

"O sol despediu-se, mentalmente cruzei um dia a menos da minha contagem regressiva".
Capricha nos detalhes dos espaços que descreve, abusando, num ótimo sentido, dos cheiros e sensações.
"Vi o mundo com mais cores e sabores, cheiros e texturas. Como poderíamos viver de forma mais intensa e sem pretensão se todos os nossos sentidos estivessem sempre inspirados como os meus estavam! "

 Sobre a autora



Manuela Marques Tchoe nasceu em Salvador da Bahia, Brasil. Fascinada por novas culturas, ela se mudou para a Alemanha após terminar seu curso de Administração na Universidade Federal da Bahia. Ela decidiu ficar em Munique, onde hoje trabalha com marketing, é casada com um alemão de origem coreana e tem um filho de quatro anos de idade. Manuela é uma escritora apaixonada por culturas diferentes, um tema com o qual ela vive todos os dias. Seu primeiro livro, Ventos Nômades, é uma coleção de contos que cruzam continentes e exploram o desejo de viajar e do exótico, os desafios e maravilhas de relacionamentos multi culturais e imigração.


Linda essa proposta, não acham? 
E é essa resenha, em tom de presente por um lindo dia, que trago para vocês hoje!

E eu lhes pergunto: vocês gostam de contos? Já leram Ventos Nômades? Se sim, o que acharam? Se não, leriam?
Bora papear!

Beijos literários!

2 comentários

  1. Lembro que vi esse livro pela primeira vez há uns meses no instagram. A capa me chamou atenção (achei linda!), assim como o título, mas eu não sabia que era um livro de contos. Fiquei bem curiosa, pois vou tentar ler mais dessa temática daqui pra frente <3
    Adorei a resenha, me deixou bem curiosa para saber do que cada conto se trata :)

    ResponderExcluir
  2. Que proposta linda desse livro. Eu gosto muito de contos e um livro com o tema principal viagens e o desafio de culturas . Fiquei especialmente instigada pelo conto que narra a morte.

    ResponderExcluir