20/2020: SOBRE A ESCRITA - A ARTE EM MEMÓRIAS

"O que se segue é uma tentativa de escrever, de maneira breve e simples, como me iniciei no ofício, o que sei sobre isso e como se faz. Trata-se do trabalho diário; trata-se da linguagem".
Olá, como vão? Eu estou muito bem, diga-se de passagem, afinal, trago hoje para vocês a resenha do primeiro livro de Stephen King ao qual me arrisquei a ler (hahaha!).

Bom, em dezembro do ano passado, eu coloquei lá no canal um vídeo em que relato as minhas 10 metas literárias para 2020. Dentre estas,  a intenção de ler autores que ainda não conheço estaria óbvio para mim, o que levou-me a  iniciar com o Mestre Stephen King. E, diferentemente da grande massa que conheço que inicia-se na leitura das obras dele, eu comecei com Sobre a Escrita - A Arte em Memórias


Título Original: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias


Autor:  Stephen King

Ano: 2015

Páginas: 256

Editora: Suma de Letras


Sinopse

Com uma visão prática e interessante da profissão de escritor, incluindo as ferramentas básicas que todo aspirante a autor deve possuir, Stephen King baseia seus conselhos em memórias vívidas da infância e nas experiências do início da carreira: os livros e filmes que o influenciaram na juventude; seu processo criativo de transformar uma nova ideia em um novo livro; os acontecimentos que inspiraram seu primeiro sucesso: Carrie, a estranha. Pela primeira vez, eis uma autobiografia íntima, um retrato da vida familiar de King. E, junto a tudo isso, o autor oferece uma aula incrível sobre o ato de escrever, citando exemplos de suas próprias obras e de best-sellers da literatura para guiar seus aprendizes. Usando exemplos que vão de H. P. Lovecraft a Ernest Hemingway, de John Grisham a J. R. R. Tolkien, um dos maiores autores de todos os tempos ensina como aplicar suas ferramentas criativas para construir personagens e desenvolver tramas, bem como as melhores maneiras de entrar em contato com profissionais do mercado editorial. O livro também não deixa de lado as memórias e experiências do mestre do terror: desde a infância até o batalhado início da carreira literária, o alcoolismo, o acidente quase fatal em 1999 e como a vontade de escrever e de viver ajudou em sua recuperação. Ao mesmo tempo um álbum de memórias e uma aula apaixonante, Sobre a escrita irradia energia e emoção no assunto predileto de King: literatura. A leitura perfeita para fãs, escritores e qualquer um que goste de uma história bem-contada. Eleito pela Time Magazine um dos 100 melhores livros de não ficção de todos os tempos e vencedor dos prêmios Bram Stoker e Locus na categoria Melhor não ficção, "Sobre a Escrita" é uma obra extraordinária de um dos autores mais bem-sucedidos de todos os tempos, uma verdadeira aula sobre a arte das letras.


"Ferocidade, beleza e o encantador domínio das palavras". Já na página 19, deparo-me com tais observações do Mestre acerca de um livro de memórias que havia lido.

O seu, ao qual hoje refiro-me aqui, traz ao ledores, bem como aos amantes das palavras e da boa escrita, uma intensa aula para escritores através das suas marcas e histórias de vida, o que avalio humildemente como uma ferramenta eficaz e muito bem utilizada por ele, já que essa nos induz, de maneira um tanto lúdica e proposital, a  boas dicas do que fazer e como proceder nesta árdua tarefa, que é escrever.
"Dito de outra forma, escrever é humano, editar é divino".
Ao falar de sua infância, o autor nos enreda, ainda na segunda parte do material, quando menciona, por exemplo, a demissão de uma de suas babás. King nos mostrou sutilmente ali, naquela narrativa, a como conduzi-la, nos oferecendo uma mescla de sentimentos, em forma de certos desabafos, além ainda de uma espécie de horror com graça (pode até parecer estranho, mas foi exatamente assim que me senti, logo ao ser apresentada à sua escrita! Ali já me fascinei!)

Aos seis anos de idade, sua mãe fora sua maior incentivadora.



Adiante, com todas as sua "aventuras" e contos debaixo do braço, insistentemente nos alimenta por meio de alguns "nãos" que, aos poucos, transformaram-se em "sins" no período em que estava na faculdade, quando conhecera seu declarado amor, Tabitha.
"Eu estava sentado no chão, ao lado dela. Enquanto ela falava, toquei sua panturrilha, sentindo a curva da pele quente através da meia-calça. Ela sorriu para mim. Sorri em resposta. Às vezes essas coisas não acontecem por acaso. Tenho quase certeza disso."

Sua força maior para não desistir no meio do caminho, segundo ele, era justamente pendurar, na parede de seu quarto, as cartas de recusa que recebia ao enviar seus contos (vi como incentivador!)
"... coloque sua mesa em um canto e, todas as vezes que se sentar para escrever, lembre-se da razão de ela não estar no meio da sala. A vida não é um suporte à arte. É exatamente o contrário".


No seu livro de memórias, King nos dá uma aula (aliás, várias aulas!) exemplares sobre pontos essenciais, como narrativa, descrição e diálogos, contudo, com diferenciais que misturam ludicidade e tecnicidade, além de suas experiências nos meios literário e editorial, bem como as suas vivências. Algo que me chama atenção em particular é que ele nos instiga a usarmos mais das ferramentas que temos.
"... pura imaginação sem limites."
Prima assim, reforçando, como todos que escrevem (eu penso), a prática diária

Na etapa em que fala da fase de revisão, outro ponto que acho essencial, é que ele menciona o Leitor Ideal que, no seu caso, ele considera a sua esposa.



Um livro que muito me enriqueceu enquanto alguém que lê, que está se inserindo no universo da escrita cheia de vontades, e como leitora que nada conhecia do trabalho de  Stephen King, a não ser pelas indicações e divulgações de colegas, além de tudo que nos rodeia na literatura. 

No início do texto, mencionei que ler Sobre a Escrita - A Arte em Memórias   seria uma das metas para este ano. Ao terminar a leitura, senti-me com uma das missões para 2020  cumpridas, mas agora não me dou por satisfeita e, do trabalho de King, tenho a certeza de que quero mais. Afinal, quem lê esta obra com a mente aberta a tudo que ele traz de ensinamento e motivação, certamente irá aderir-se ao universo das palavras com uma visão um tanto já modificada, transformada.

Um material que nos traz, em certa simplicidade para um Mestre, ensinamentos valiosos a quem é fã de suas obras e, principalmente, a quem escreve ou quer escrever. Fica aí a dica! ;)

Beijos Literários!


15 comentários

  1. Olha, achei fantástica sua resenha. Essa obra deve ser um pouco diferente do que já li do escritor e da forma que você falava dela para mim, fiquei com uma ponta de curiosidade. Não será agora, mas futuramente quero contemplar essa leitura também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Obrigada! Provavelmente seja diferente do que já leu sim, amigo!Em tempo, leia sim! É uma leitura importante a quem escreve, assim como nós, seja resenha, ou algum projeto maior. Abraços!

      Excluir
  2. Nossa! Fiquei com muita vontade de ler este livro. Aliás curta é a vida para tantas leituras que desejo colocar em dia heheh
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Então leia! Se jogue que garanto que se tem vontade, poderá valer a pena! ;)
      A vida é curta a nós, humildes leitores sim, minha cara, mas uma delícia! Rsrs BJs

      Excluir
  3. King é um dos meus autores favoritos, qualquer post sobre ele me chama a atenção. Não sou muito de traçar metas literárias, mas uma que eu tenho é ler todas as obras do King. Tenho uma certa ordem de preferência que sigo na escolha dos livros dele e esse "Sobre a escrita" está lá no final. Até porque não é uma história, né? Mas sabe que seu eu post me deixou um tanto curiosa sobre essa obra? Com certeza vou olhar pra ela com mais atenção na hora de escolher meu próximo livro do King.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju! Bom, sobre King, não era o meu caso até pouco tempo atrás! Eu traço muitas metas (rsrs)! Que bom que instiguei você a ler este livro! Com certeza, em seu tempo oportuno, será enriquecedor! Bjs

      Excluir
  4. Adoro King e achei a premissa desse livro fantástica! Uma verdadeira aula da arte da escrita e também uma lição de vida de persistir nos seus objetivos e não se deixar abalar por críticas negativas. Já quero muito ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, também me senti motivada a querer ainda mais alçar esse voo que tenho certeza não ser fácil, como nada na vida, não é verdade? Grata pelo seu retorno! Bjs

      Excluir
  5. Eu sou suspeita para falar de Stephen King. Enquanto muitos reclamam que ele enrola em sua escrita, acho que justamente a riqueza de detalhes que ele traz é que me encanta. Achei incrível que ele resolveu compartilhar com outros autores todo processo dele como autor e a dificuldade até se obter o sucesso porque muita gente vê o quão grandioso ele é hoje e não imagina o quanto ele passou até o que é. Desde os "nãos" recebidos aos problemas com drogas. Tenho certeza que foi uma leitura muito enriquecedora e espero que lhe impulsione a conhecer outras obras dele. Apesar de muitas recomendações sobre ler em ordem cronológica para não perder as referências, acho que cada um deve começar com a que mais se identifica. E talvez Joyland ou À espera de um milagre lhe conquiste mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Muito obrigada pelas dicas e pelo retorno! E sim, fato é que essa leitura foi muito enriquecedora! Independente realmente de ordem cronológica, em meu momento, essa me foi uma experiência literária muito importante. Comecei bem o ano!

      Excluir
  6. Oioi, Ana! Sou uma leitora apaixonada dos contos do King, e uma coisa que sempre me chamou a atenção nas obras dele é quão bem ele sabe falar com os leitores. Além disso, é formidável quando encontramos alguém que sabe tanto sobre um assunto que é capaz de torná-lo simples.Por isso, imagino que Sobre a Escrita seja um livro maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Consegui dialogar com ele o tempo todo nesta obra de memórias! Parecia que estávamos a tomar um café enquanto ouvia e aprendia com ele. O cara é mesmo fera e não é à toa que chegou onde está!Grata pela sua bela contribuição! Bjs

      Excluir
  7. Tenho muita vontade de ler esse livro! Do autor já li It e A Redoma...

    ResponderExcluir
  8. Oi! Que legal! Então leia, amiga! Se joga! Essa é a minha primeira, mas "Cujo" já está na estante. Falta agora eu me organizar para, em tempo oportuno eu conseguir ler! Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Essa também foi a primeira, e no momento única, leitura que fiz do Stephen. Achei maravilhoso. A forma como ele montou esse livro é incrível e me deixou extaseada.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir