17/2020: SER FELIZ COM QUEM QUISER

"A música para ele só valia a pena se feita para alguém especial. O café, se dividido. Uma poesia, se dedicada. Um filme romântico sendo assistido sozinho?..."
O que seria de fato um  bon vivant
Bem, é o que o escritor Adhemyr Fortunatto em sua história, Ser Feliz com quem Quisernos convida a conhecer quando apresenta-nos ao protagonista, Nilsson Dessicler, um jovem advogado de 25 anos, solteiro e filho único. 

Dessicler, como era chamado pelos mais próximos, tinha um diferencial: era herdeiro de um grande império. De sensibilidade notável, destacava-se, já que, mesmo tendo aparentemente tudo que precisava na vida, seus reais intentos ainda não haviam  por ele sido descobertos.


Vivendo solitário numa bela cobertura na São Paulo atual, a narrativa mostra um rapaz que aprecia o dedicar-se às artes, mais especificamente, pinturas, poesias e boa música. Seu pai, que sofreria de Alzheimer, seria cuidado, no interior, por mãe. 

"A vida parece mesmo ser uma sequência de mutações, até nos vermos prisioneiros de um corpo; eis-nos, enfim, inexistentes, e nada mais ...”

No período em que a história se passa, a empresa da família seria administrada por seu tio, enquanto ele ainda não não decidira assumir os negócios, o que geraria certas insatisfações e conflitos com a matriarca, sua mãe.




Narrado em terceira pessoa, Adhemyr Fortunatto conduz aquele que lê a uma busca inquietante do jovem milionário pelo que ele acredita ser sua real felicidade.

A mensagem do livro já nos chama, de cara a atenção quando ele nos instiga, nos provoca de certa forma, ao convite para sermos felizes com quem quisermos, o que torna a leitura rápida e com a simplicidade que o escritor nos retrata.
"Eu preciso ser para você um amor impossível. Pois só assim conseguiremos nos amar e suplantar os obstáculos da clandestinidade. E assim seguiremos em nossa aventura amorosa clandestina. E evitaremos a rotina que a qualquer amor simplesmente arruína.”
Publicado em 2019 pela Editora Penalux, o livro Ser Feliz com quem Quiser, de Adhemyr Fortunatto, possui 186 páginas convidativas aos amantes de romances contemporâneos. 

Sobre o autor



ADhemyr Fortunatto (Ademir Fortunato da Silva) nasceu em Sertãozinho/SP. Autor dos livros As Aventuras do Bodão (humor – impresso/e-book), Reflexões de um sujeito à toa (crônicas e contos – impresso/e-book) e Toda feminista tem um machão no coração (romance).  Com Mariana Borges, tem publicado o livro Amor Perfeito (Ed. Clube dos Autores). Colabora no JR NOTÍCIAS (Diadema/SP) e no Blog Amor Perfeito <www.amorperfeitoadois.blogspot.com.br>.



E aí, o que acharam? Se interessaram por essa possibilidade de leitura? Já leram? Se sim, o que acharam? Bora papear, povo!

Beijos Literários!


3 comentários

  1. Agradeço a resenha! Gostei. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Que bom que gostou! Me sinto feliz e honrada! Volte sempre!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá conterrânea! Espero que esteja tudo bem! Esse é o tipo de leitura que inspira, essa busca por felicidade deveria ter mais "opções" na vida de cada um, mas as lutas por sustento, dignidade e até para se encontrar roubam tempo que acaba servindo para outras coisas, mas acho que em algum momento, guiado por algo que fala conosco, todos olhamos com carinho para essa busca e nunca é tarde :)

    Abraço e tudo de bom para você :)

    ResponderExcluir