09/2020: CORAÇÃO DE POETA EM PROSA E VERSO

Incomodar-se e sentir-se instigado.
Creio que essas tenham sido algumas das sensações vivenciadas por Marcos São Mateus Mônaco quando, em uma viagem a Lisboa, interessou-se de maneira nada peculiar pela trajetória de vida do escritor Soares de Souza Júnior.

Olá, como vocês estão?
Hoje vamos conversar um pouco sobre uma obra que recebi no ano passado da Lura Editorial, parceira do blog, e que coloquei como uma das minhas metas literárias na TBR de janeiro. 

Que tal conhecermos a ficha técnica do livro que estou falando e papearmos ainda mais sobre ele?! ;)


Título Original: Coração de Poeta em prosa e Verso

Autor:  Marcos São Mateus Mônaco

Ano: 2018

Páginas: 256

Editora: Lura Editorial

Sinopse


Autor da letra do hino do estado do Rio de Janeiro e patrono da cadeira 42 da Academia Fluminense de Letras, Antônio José Soares de Souza Júnior foi um dos escritores brasileiros mais aplaudidos no século XIX. Atuou com sucesso em todos os ramos da literatura. Abolicionista e republicano, o escritor, jornalista, engenheiro, tradutor e funcionário público Soares de Souza Júnior defendeu o respeito aos direitos humanos em todas as dimensões, por meio de uma vasta obra literária composta por reportagens, crônicas, contos, poesias, romances-folhetins, traduções, dramas e comédias teatrais.

Com o objetivo de demonstrar a sua importância literária e de começar a resgatar o seu legado, Coração de Poeta, em prosa e verso é a primeira obra já escrita especificamente sobre ele, com informações biográficas, recortes de jornais e transcrições de críticas da época (primeira parte), além de uma pequena antologia de poesias (segunda parte) e de contos (terceira parte).


Com um intensivo trabalho documental, o escritor Marcos São Mateus Mônaco trouxe aos leitores a primeira biografia desse que ocupou a cadeira de número 42 da Academia Fluminense de Letras, tendo ainda sido o autor da letra do Hino Oficial do Estado do Rio de Janeiro _ Antônio Soares de Souza Júnior.

Em intenso levantamento de registros, na primeira parte de seu livro, Marcos São Mateus Mônaco consegue reunir muitas histórias acerca da ativa vida do poeta, assim como, por exemplo, críticas _ positivas e negativas _ referentes ao seu trabalho, bem como polêmicas em que, enquanto jornalista e teatrólogo, estivesse envolvido.

Todo esse aparato de documentos e relatos encontrados e a nós fornecidos em  Coração de Poeta nos propõe uma bagagem de estudos, até mesmo dentro do contexto sociocultural na história, profissional, de Soares de Souza Júnior. Além disso, nos traz toda uma riqueza de possibilidades, no que refere-se à escrita de uma época tão distinta da nossa.


Em sua escrita no Jornal "A Gazeta de Notícias", ousava, o que talvez fosse "um dos" motivos de tamanhas controvérsias com base nas críticas que recebia. A isso também atribuía-se os pseudônimos por ele utilizados.

Por suas diversas atividades simultâneas e por, na poesia, expor opiniões em temas como a "idealização da mulher" (página 131), além da política e os costumes da sociedade vigente, acabou adquirindo desafetos.

O livro é subdividido em três partes:

  • Na primeira, Marcos São Mateus Mônaco apresenta àquele que lê uma gama de historicidade sobre Soares de Souza Júnior;
  • Na segunda parte, oferece-nos alguns de seus poemas e antologias; assim como, na terceira, alguns de seus contos.
" '... soube captar a estima de todos os seus companheiros, pela delicadeza do seu trato, pela lealdade de seu caráter e pelos dotes do coração, sendo por todos apreciado o cultivo de sua inteligência e justa apreciação que fazia dos homens e dos fatos...' ".
Em sua pesquisa em forma de obra literária, o escritor Marcos São Mateus Mônaco disponibiliza  todos os passos de Soares de Souza Júnior, desde a sua curiosidade aguçada em Lisboa por uma placa em um portão, que chamara sua atenção sobre o ilustre poeta, à busca por acervos que lhe desse certa bagagem histórico-cultural, do nascimento, em 07 de abril de 1851, ao auge nas mais diversas funções por ele exercidas, até adoecer e, precocemente, ser vencido, assim como diversos outros escritores da época, como Castro Alves e Casimiro de Abreu, pela tuberculose, dois meses antes de completar 42 anos, em 05 de fevereiro de 1893.

Marcos São Mateus Mônaco acerta em cheio quando traz a biografia de um escritor, poeta, que por muito tempo fora esquecido, visto que não encontra-se com facilidade em livrarias e bibliotecas as obras desse que, com certeza, deixou legados. Muito do seu trabalho encontra-se na Biblioteca Nacional  do Rio de Janeiro, atualmente à disposição do público.
" 'De sua obra na imprensa diária, Soares de Souza Júnior deixa traços que não se apagarão mais nunca, porque eles fazem a riqueza abundante das coleções das folhas a que deu toda a pujança do seu talento...' ".

Fato é que, por meio dessa bela reunião de dados históricos sobre vida e obras de Antonio Soares de Souza Júnior, por Marcos São Mateus Mônaco, o leitor muito bem consegue identificar esse republicano, escritor, jornalista, engenheiro, tradutor e funcionário público, como um dos escritores brasileiros mais aplaudidos no ramo da literatura no século XIX.

Conhecer a sua herança trata a quem interessa-se de tal tipo de leitura, ao resgate de uma considerável importância dentro do meio literário.

E aí, o que acharam?
Gostam desse tipo de leitura? 
Contem aqui nos comentários! 

Por hoje é isso!
Beijos literários!


2 comentários

  1. Olá, minha cara. Não conheço o autor-poeta. Para ser sincera, não conheço o hino do Rio de Janeiro. Aliás, conheço apenas alguns hinos brasileiros e acho que, apesar da poética lírica, são muito grandes e confusos na compreensão. Não deixam de ser belos, mas são muitos versos e o idioma antigo dificulta a compreensão de quem não tem o brasileiro como idioma de origem.
    Quanto ao poeta, nunca li um único verso. Gosto desse tipo de livro, já li alguns de Drummond e Mário, mas li justamente por conhecer os autores e buscar referências da escrita-pessoa.

    bacio

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante! O autor me é completamente desconhecido e seu post me deixou com vontade de saber mais!

    Abraços!

    ResponderExcluir