GRUPO DE LEITURA COLETIVA FARONÍACOS

Oi, gente!!!! Olhem só a novidade que venho trazer para vocês!
Como sempre, eu, a Ana Claudia, do Café com Leitura Blog junto dos amigos Fernanda, do Blog Conduta Literária, Amanda do Blog Sobre a Leitura e Gustavo, do Blog Leitura Enigmática estamos sempre engajados em trazer para vocês boas indicações literárias e, assim como fizemos em julho com a idealização e a concretização do Darkside Readers Team, onde só realizamos leituras dos selos da Darkside Books, também estamos inciando um novo grupo de leitura coletiva lá no instagram intitulado, Faroníacos. Bom, pelo nome, creio que vocês já notaram que será um grupo onde apenas leremos obras da Faro Editorial

As leituras terão início em primeiro de novembro, serão abertas a todos que gostem dos materiais da editora (que aliás não tem como não gostar!). Para participarem, basta procurar por nós no direct, no Instagram do grupo de leitura. 



E a primeira obra a ser lida no grupo será o aclamado Vozes do Joelma: Os Gritos Que Não Foram Ouvidos , uma coletânea de contos escritos por autores renomados que irão te conquistar com a forma que escrevem. Vamos conferir a ficha técnica e a sinopse dessa belezinha!?



Título Original: Vozes do Joelma - Os gritos que não foram ouvidos

Autores: Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini

Ano: 2019

Páginas: 288

Editora:Faro Editorial 
 Sinopse

O trágico acontecimento do edifício Joelma deixou quase 200 mortos e mais de 300 feridos, além de ganhar as manchetes da época e selar o local com uma aura de maldição. Esse fato até hoje ecoa em boatos fantasmagóricos que envolvem a presença de espíritos inquietos nos corredores do prédio e lendas sobre lamúrias vindas dos túmulos onde corpos carbonizados foram enterrados sem identificação.

Algo que nem todos sabem, é que muito antes do Joelma arder em chamas no centro de São Paulo, o terreno já havia sido palco de um crime hediondo, no qual um homem matou a mãe e as irmãs e as enterrou no próprio jardim.

Devido às recorrentes tragédias que marcaram o local, há quem diga que ele é assombrado por ter servido como pelourinho, onde escravos eram torturados e executados.

E sua maldição já fora identificada pelos índios, que deram-lhe o nome de Anhangabaú: águas do mal. Se as histórias são verdadeiras não se sabe... A única certeza é que a região onde ocorreu o incêndio.

Fica aqui o convite!



Ficaram curiosos e empolgados?? 
Então juntem-se a nós para essa fantástica leitura coletiva que dará um super debate no final do mês de novembro. 

Beijos literários!!

5 comentários

  1. Eu amo demais esse equipe!
    É simplesmente um prazer poder contar com vocês e iniciar mais um novo projeto.
    Obrigada por sugerirem tantas coisas maravilhosas e embarcar nas maiores loucuras literárias que embarcamos.

    Beijos!
    Amanda

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu confesso que traçar um paralelo entre as lendas indígenas com a tragédia do Joelma me incomodou. O que aconteceu no prédio serviu para a cidade criar novas regras de segurança, mas sem dúvida alguma, tudo aquilo aconteceu por falta de prevenções e cuidados. Era algo que poderia ser evitado. Os indios temiam as águas causavam doenças (fato comprovado ao estudar as águas do lugar) e na época das chuvas, as doenças se multiplicavam. Até por isso optou-se por canaliza-lo.
    Ali também houve um abatedouro, que acabou desativado por questões sanitárias. Também foi um grande charco, mas nunca li relato algum sobre ser pelourinho. Do outro lado da ponte construída pelo Barão de Lorena, para facilitar o acesso a outra parte, havia venda de escravos, vindos do Porto de Santos... e ainda há uma propriedade, ou o que resta dela, onde ficavam presos a grilhões. Os ferros ainda estão lá, nas paredes.
    Mas, histórias de fantasmas por aqui são comum. Há narrativas por todo o centro velho, no Martinelli, até os seguranças temem o lugar, que ficou abandonado durante anos e um corpo foi encontrado no fosso do elevador. Tem até uma caminhada noturna pelos lugares mais fantasmagórico de Sampa.
    A imaginação coletiva é ótima... conta-se um conto, aumenta-se vários pontos. Imagino que o livro leve nessa direção.
    Parabéns ao projeto de vocês e boa leitura.

    bacio

    ResponderExcluir
  3. Que legal, acho essa ideia de grupos de leituras muito legais. Ver esse tipo de iniciativo no meu blog me inspirou a fazer um grupo de leitura de psicanálise.

    ResponderExcluir
  4. Estou supera animado com mais esse novo projeto e super grato em fazer parte dessa equipe que já considero como da minha família. Com certeza será um sucesso, assim como os demais que estão em andamento. Não espero a hora de iniciar a leitura de "Vozes do Joelma", será um arraso!!!

    ResponderExcluir
  5. Equipe mais linda!!!
    E mais um projeto maravilhoso que vamos realizar e não poderia ter um começo melhor do que com o livro Vozes do Joelma.
    Ansiedade me define!! Quero!!

    bjs

    ResponderExcluir