BATE-PAPO COM A AUTORA LYRA ROCHA

Olá, como vão, pessoal?? Hoje eu venho aqui com um bate-papo muito gostoso! Isso mesmo!
É dia de conversarmos com uma autora jovem, talentosa e iniciante nas escrita de e-books na Amazon!
Eu falo da autora Lyra Rocha, que escreveu o livro Fisiologia do Amor.
Bora conferir o que ela tem a nos contar?? ;)



☕ Como você se apresentaria ao público do Café com Leitura Blog?

Lyra Rocha, uma autora que ama café, chocolate e animais, viciada em ler nas horas vagas e não vagas e que se diverte tentando dar vida às suas próprias histórias. 

☕ Como iniciou-se no processo de escrita? E qual papel as palavras têm na sua vida?

Minha primeira história surgiu no mundo das fanfics.  Não foi algo muito planejado. Eu estava viajando e surgiu essa ideia na minha mente que precisava sair de alguma forma. Comecei a escrever só para mim sem pretensão alguma até resolver postar e compartilhar com o mundo. Eu não imaginava que teria leitores e que depois que a primeira história viesse, muitas outras explodiriam na minha cabeça. A minha vida com os livros sempre foi ler – até hoje. Eu amo ler, amo entrar em outros mundos, viajar por outras vidas, dores, alegrias e aventuras. Colocar agora minha própria imaginação no papel é muito mais emocionante e é o meio que eu uso para poder descansar, me divertir e  viver outras histórias.

☕ Anteriormente à "Fisiologia do Amor", tem algum trabalho nessa área? Qual? E poderia nos falar sobre ele?

Antes de Fisiologia do Amor eu havia escrito uma fanfic de A Seleção, que atualmente eu estou reescrevendo como original e repostando no Wattpad. Ela se chama O peso da Coroa, um romance que se passa na realeza de uma ilha isolada do mundo e das civilizações. Também comecei escrever Trono de Sangue, que é uma história medieval e tem uma pegada mais pesada e bem diferente de Fisiologia do Amor. Essa história ainda está em andamento e tem três anos que escrevo.

☕ Sobre "Fisiologia do Amor", como surgiu a inspiração para escrever esse romance?

Eu sou formada em farmácia e estava preparando uma palestra sobre a ciência e as emoções humanas. Enquanto estudava, fiquei pensando como seria se existisse uma pessoa que quisesse se guiar pela ciência em relação ao amor e que deixasse essas teorias definirem as suas escolhas. Foi assim que a Cecília foi formada e sua história criando forma.

☕ Sobre a caracterização da personagem Cecília Perosini, uma estudiosa sobre as relações biológicas do nosso corpo, mais especificamente das emoções, o que teria a nos dizer?

Como falei, a Ceci nasceu enquanto eu mesma estudava sobre o assunto. Na minha área, eu costumo lidar com muitas pessoas céticas e até mesmo difíceis de lidar. Infelizmente na “Pesquisa” há muita gente que se fecha em suas próprias linhas de pensamentos e não estão dispostas a dialogar com outras. A Ceci foi inspirada nisso, alguém que passou a vida criando suas concepções e que tem muita dificuldade de mudar seus próprios pensamentos quando confrontada com algo diferente. O restante da personagem foi fácil porque foi refletida em mim mesma. Eu já fui ela, hoje eu digo que sou uma Cecília reformada rs Eu tinha dificuldade de abrir minha mente, eu queria que as pessoas se enquadrassem naquilo que eu acredito, eu era paranoica e super ciumenta... Ou seja, a Ceci sou eu! haha

☕ Algo na personagem eu não compreendia: se ela era cética em relação ao amor, às coisas do coração, por que ela persistia em procurar um "par perfeito", ao invés de ficar sozinha?

Não é que a Ceci não acreditasse no amor. Ela acredita, mas não da mesma forma que as pessoas enxergam, aquela coisa fantasiosa e romântica dos filmes e livros. A Cecília sabe que o amor existe, mas ela sempre via isso como um mecanismo fisiológico do corpo. Ela quer ter seu par e sua família um dia, pois sabe que cientificamente isso é algo natural do ser humano, mas ela não quer fazer a escolha errada e passar a vida fadada a um relacionamento fracassado. Ela tem uma  visão racional de como a coisa toda acontece, então ela acha que pode induzir o seu corpo a se juntar com alguém que seja ideal para um relacionamento duradouro e que possa dar certo, ou seja, dentro das probabilidades que a ciência diz que possa fazer durar. O que ela não esperava é que seus planos poderiam sair pela culatra como saiu rs.


☕ Eu realmente fiquei curiosa e me pegando a pensar sobre o que te levou a escrever sobre o amor em contrapartida a estudos científicos. Achei intrigante e criativo. Poderia nos falar mais sobre suas intenções com a sua obra?

De início eu só queria uma história leve e divertida para espairecer. Eu vinha escrevendo Trono de Sangue, que é um livro pesado e que me deixa esgotada, então, tive essa ideia para a chick lit, mas nunca tinha escrito nada do tipo. Com o tempo, enquanto o enredo tomava forma na minha cabeça, através do jeito engraçado da Cecília e suas concepções científicas, quis mostrar como é difícil mudarmos de pensamento quando passamos a vida acreditando em algo. Como é complicado sair da nossa própria forma e mudar a nossa visão. Cecília viveu a sua vida seguindo uma metodologia e acreditando que aquilo era o certo. No entanto, ela é confrontada com algo diferente e é difícil mudar. Na vida somos assim, cabeça-dura e defensores da nossa própria opinião. No final, Ceci é apenas gente como a gente.

☕ Na história fala-se bastante em teorias, estudiosos, ciência... Como foi seu processo de pesquisa para abordar essa temática sem cair em erros ou exageros?

Parte do conteúdo eu usei daquilo que eu já tinha pesquisado para meus próprios estudos, então eu meio que já tinha o material com as teorias e explicações por causa da área que atuo. Quando a história surgiu, eu só abrangi as pesquisas para agregar algumas curiosidades e confirmar outras coisas como o mecanismo do beijo, por exemplo, que eu não lembrava de memória. Mesmo a história sendo ficção, tudo que foi cientificamente colocado eu tive o cuidado de usar sites confiáveis e revistas científicas que fossem fidedignas. 

☕ Como tem sido a reação dos leitores ao seu material?

Tem sido ótima! Eu não esperava uma reciprocidade tão legal. É divertido e muito gostoso acompanhar as pessoas amando a Ceci, mesmo querendo sacudi-la na maioria das vezes, torcendo e até mesmo se identificando no final. O carinho que recebi tem sido fenomenal, não tenho nem palavras para agradecer. Não esperava tanto!

☕ Você tem mais algum projeto em mente no momento? Pode nos dar um gostinho?😉

Atualmente meu foco é terminar Trono de Sangue, que é uma história medieval que eu já escrevo tem 3 anos. Estou reescrevendo uma outra história, o Peso da Coroa e começando a escrever Matemática do Amor, que é o terceiro livro da série Ciências do Amor e vai contar a saga da Camila. Nesse meio tempo preciso revisar Psicologia do Amor, segundo livro da série para poder lançar. Ufa, por hora é isso! Rs Vou deixar a sinopse dessa última como um gostinho:
 Marina Mattos, morena, 19 anos, alto astral e divertida. Uma linda estudante de psicologia, que conquista todos a sua volta. Bem resolvida consigo mesma, ela tem cachos porque acha lindo, age como quer e usa o que achar melhor em seu corpo. Uma garota assim deve conhecer bastante da vida, não é? Na verdade não. 
      Acredite se quiser, Marina nunca conheceu o amor! Não que ela tenha se privado disso, apenas não encontrou uma pessoa que fizesse o seu coração bater mais forte. Ela não precisava beijar por beijar porque todo mundo faz, muito menos sair pegando geral porque a moda agora era essa. A garota apenas vivia a sua vida como ela é, sem forçar a barra. O que tiver que ser será. Esse era o seu lema, mesmo que às vezes se perguntasse porque nunca havia ficado com ninguém. 
      Tudo estava andando tranquilamente bem, até o dia que o seu professor passou um terrível trabalho para conclusão da disciplina. Ela deveria escolher um paciente com um caso interessante para ser estudado e assim, conquistar a tão sonhada aprovação.
      Parecia uma missão difícil, até um cara cair de paraquedas na porta do seu quarto com uma garrafa de vodca e um coração partido. Era o caso ideal, uma provisão do destino. Mas como ela poderia tratar do amor sem nunca ter vivido um? Poderia todo o ensino da psicologia ajudá-la nessa empreitada? Entre muitas risadas, desabafos e aprendizados, Marina se surpreenderá em uma saga para entender os dilemas do coração.

☕  Você tem a intenção de trazer ao leitor o livro Fisiologia do Amor em formato físico, através de parceria com alguma editora?

Meu sonho! Intenção eu tenho, sempre quis, mas ainda não recebi nenhuma proposta que fosse viável. Mas se uma editora bacana se fizesse contato, já estaria analisando em um segundo. rs

☕ Tem algum recadinho para nós??

Quero agradecer primeiramente a todas as pessoas que leram Fisiologia do Amor e tem me ajudado nesse meu primeiro lançamento na Amazon. Cada mensagem, voto, feedback, resenha e indicação tem me deixado muito feliz e eu não terei nunca palavras suficientes para agradecer todo carinho. Não posso deixar de falar muito obrigada também para as minhas parceiras que tem me ajudado nessa fase. Muito obrigada, Ana, pela oportunidade. E espero que todo mundo possa continuar acreditando e acompanhando o meu trabalho porque vem mais coisa legal pela frente! Beijos e brigadeiros! 

Lyra Rocha


Gente, eu já amei o papo logo no início! Ela também ama café!!!! E quanto amor declarado pelas leituras e escritas!
Quantos projetos envolvendo a escrita, além de sonhos e possibilidades de concretizações na área!
Quero convidar vocês a estarem nos acompanhando, ao Café com Leitura Blog e também à querida Lyra Rocha, afinal a gente pode ver quantas propostas literárias ela está a nos oferecer, sem contar que ainda esta semana sai resenha de  Fisiologia do Amor aqui no blog.

Querem comprar o livro? vou deixar link aqui, afinal assim vocês ajudam não apenas à autora, como no crescimento do meu projeto, ok? 

Beijos literários!

2 comentários

  1. Gente, que maravilhoso! Comecei a ler a entrevista sem nem fazer ideia de que essa é a autora que escreveu esse livro "Fisiologia do amor". Eu ainda não li o livro, mas achei a ideia dele genial! Gostei bastante de conhecer um pouco da mente por trás dele.

    Achei muito legal quando ela fala que começou a escrever por fanfics. É tão legal quando nossas paixões viram a nossa profissão, né?

    Beijos


    🌗 Relatos de um Garoto de Outro Planeta

    ResponderExcluir
  2. Adoro esse momento do blog, sempre trás autores talentosos e que muitas vezes passam despercebidos...
    Dica anotada...
    Abraços

    ResponderExcluir