40/2019: A VIÚVA DE SAFIRA

"A brisa espalhava hibiscos rosados no jardim que circundava a varanda, e Louisa adorava se sentar ali para ouvir os sons do amanhecer, enquanto o sol da manhã banhava tudo ao redor".
Oi, gente! 
Pensem num romance lindo, poético e de tirar o fôlego! Se pensaram em A Viúva de Safira, parabéns, acabaram de acertar!

Recebi esse romance lindíssimo da autora Dinah Jefferiespublicado pela Editora Paralela, que faz parte do Grupo Companhia das Letras , através da parceria com o Time de Leitores 2019, o qual digo ter sido um presente neste ano e uma honra estar integrando!
Vamos conhecer um pouco mais da obra?? ;)



Título Original: A Viúva de Safira

Autor: Dinah Jefferies

Ano: 2019

Páginas: 376

Editora: Paralela
Sinopse

Dinah Jefferies volta a retratar o Ceilão inglês do começo do século XX em mais um romance histórico de tirar o fôlego, com a participação especial de Gwendolyn, Laurence e outros personagens amados de O perfume da folha de chá. 

O ano é 1935. No Ceilão, uma rica colônia britânica do sul da Ásia, Louisa e Elliot vivem um casamento feliz. Ela, filha de um importante comerciante da região; ele, um charmoso homem de negócios. Juntos, eles aparentam ser um casal que tem tudo. Exceto aquilo que mais desejam: um filho.

Durante as diversas tentativas de Louisa de engravidar, seu marido parece cada vez mais distante, passando a maior parte do tempo em uma fazenda de canela das redondezas. Mas a morte repentina de Elliot ― tão trágica quanto misteriosa ― é seguida de revelações chocantes, atirando a jovem numa espiral de incertezas. Quem era, de fato, aquele homem? Por que ele tinha tantos inimigos? Como foi capaz de cometer uma traição tão terrível? 

Em busca de respostas, Louisa embarca em uma jornada devastadora. Quando finalmente descobre o terrível segredo por trás de seu casamento, seu mundo vira de cabeça para baixo. Será que ela encontrará forças para seguir em frente? Ou sofrerá, para sempre, as consequências do que parece imperdoável?




Elliot e Louisa viviam no Ceilão, lugar anteriormente conhecido como Serendip _ A Ilha das Pedras Preciosas

Ela, herdeira de um empreendimento familiar gigantesco nesse ramo, e ele, um homem, garboso, um empresário, que gostava de correr riscos. Tudo poderia ser perfeito, mas algo lhes faltava: um filho.

Louisa vivera alguns abortos e, embora tentasse ocupar-se com o orfanato, bazares e outras atividades, isso a causava enorme sofrimento. Ainda assim, era uma mulher que gostava de ter planos, de interagir com os nativos, não tinha olhos requintados que a separassem dos menos afortunados na vida. Era uma mulher bondosa. 
"Ela amava aquele ambiente sereno e poeirento, embora às vezes ficasse tingido pela tristeza".
Seu marido parecia guardar alguns segredos que a incomodava e, ao ser questionado, mostrava-se um tanto inquieto, algumas vezes impaciente, entretanto, conseguindo sempre escapar  pela tangente. Era um empreendedor, um jogador no mundo dos negócios, embora nem sempre tivesse seus empreendimentos bem sucedidos, sendo sempre amparado pela compreensão de sua esposa. Até que, no dia em que comemorariam aniversário de casamento, uma fatalidade lhe acontece.



Com a morte de seu marido Elliot, o mundo parece a engolir gradativamente em meio a tantas mentiras, dívidas, traições e muitas decepções a envolvendo. 

Sua autoestima se abala com tantas cicatrizes deixadas. Mas no meio de tudo isso, de tanta vergonha misturada à decepções, ela poderia contar com algumas pessoas, como Margo, sua cunhada e Jhonatan, seu pai.
"Um pouco adiante, uma sensação ruim de vazio tomou conta dela. Como encontraria uma razão para acordar de manhã, viver, respirar?  E ainda assim ela continuava a viver, a respirar, automaticamente, sem que fizesse nada".
Com tantas revelações, ela conhece Leo McNairn, um jovem dono de uma fazenda de plantação de canela em Cinnnamon Hills.

Com ele, ela provou de vários sentimentos, alguns que precisou reaprender a sentir, como o amar, de uma maneira diferente.


"Não eram lágrimas  de tristeza, mas de algo como alívio, ou uma sensação impossível de expressar, mas importante, importante mesmo. Em meio àquela bolha de paz, ela teve a sensação de que seu coração despedaçado estava cicatrizando".
Em alguns detalhamentos da autora, conseguimos perceber as transformações do século no mundo, como a vinda da luz elétrica, o telefone e os carros, por exemplo, e as opiniões das personagens acerca dessas mudanças. Louisa dirigia, andava de bicicleta, tinha um potencial empreendedor imenso, além de uma esposa e dona de casa exímia.

Outros aspectos atraentes são as vastas paisagens retratadas pela autora, além das relações interpessoais, ou inter-raciais, numa época e numa localidade nada comuns.



Dinah Jefferies menciona com suavidade as paisagens e a delicadeza da natureza, ou em certas ocasiões a sua voracidade durante a narrativa, levando o leitor a sentir-se parte integrante de todo o movimento da história de Louisa. 
"Ainda não era dia. Já não era mais noite. Era uma coisa mística, e ela estava gostando. Aos poucos, à medida que o azul se esvanecia e o céu adquiria um tom vermelho escuro dourado, alguns pássaros começavam a celebrar a chegada do dia".
Toda a história me fez lembrar das novelas de época bem escritas em que assistia quando mais jovem, algo que não sentia há muito tempo! Consegui torcer por personagens, sentir dó ou certas decepções.
Só posso convidar vocês a conhecerem e adquirirem a obra, que tem uma bela diagramação, bem formatada, com uma autora talentosíssima na escrita de romances.

Sobre a autora



Dinah Jefferies nasceu em Malacca, Malásia em 1948 e se mudou para a Inglaterra em 1956, aos oito anos de idade. Ela estudou no Birmingham College of Art e mais tarde na Ulster University , onde se formou em Literatura Inglesa . Enquanto na faculdade ela ficou grávida de seu primeiro filho, Jamie, que faleceu em um acidente. A experiência de perder o filho foi a inspiração para o seu romance The Separation.

Me contem: o que acharam dessa leitura? Já conheciam a escrita da autora? E já leram o livro A Viúva de Safira ? Estou super curiosa para saber!

Beijos literários!!


7 comentários

  1. Vi a capa deste romance, mas não tinha lido na sobre ele. Achei o enredo muito bacana, ele tem todos os elementos que adoro em uma história. Sem dúvida, eu compraria este livro para ler. Já salvei para quando eu tiver a oportunidade para comprar e ler.

    ResponderExcluir
  2. Coitada de Louisa, que não conseguia engravidar, ainda mais nessa época, ter filhos era primordial. Essa história ma parece ser triste, bem a vida de algumas mulheres dessa época em que se passa a história, mas ao mesmo tempo uma narrativa que parece emocionar demais o leitor. Parabéns pela bela resenha.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana confesso que faz tempo que não leio um ótimo romance histórico e sua resenha estar me convidando para ler esse livro. Já amei essa capa, já quero conhecer Louisa. Bjusss.

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca tinha lido uma trama que retratasse um romance poético e de tirar o fôlego como este que você apresentou aqui para nós! Repleta de infortúnios da vida. Ótimo saber que Louisa vai em busca de respostas e embarca em uma jornada devastadora. Parece ser bem intrigante e envolvente. Muito bom poder ler a sua opinião, além de conhecer melhor a obra.

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    É certo que a personagem principal sofreu bastante. Mas não sou muito fã de livros em que a personagem perdeu namorado ou marido e de cara já acha outra pessoa para amar, para mim, tem que ter sempre um salto atemporal entre um acontecimento e outro.
    A edição do livro é linda e a trama chama a atenção, realmente parece ser um romance de época sensacional.

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Adoro as fotos que você tira para as suas resenhas! Eu confesso que não estou muito na vibe desse tipo de leitura, mas sua resenha me deixou um pouco curioso. Acho que ela demonstra como a vida pode nos surpreender quando a gente acha que é o fim (a morte do parceiro).

    Beijos!


    🌗 Relatos de um Garoto de Outro Planeta

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana,

    Não conhecia esse livro, mas fiquei super interessada depois de ler sua resenha. Amo livros de época, e esse parece ter um conceito bem legal principalmente pq envolve, suspense, drama e romance. Que algo melhor? Vou correr atrás desse ebook, você me deixou muito curiosa sobre o que esse marido tanto escondia...

    Beijos e parabéns pela resenha...
    Blog Ancora Literária

    ResponderExcluir