32/2019: CONTO BALA DE CAFÉ

"Meus pais até ganhavam bem, mas o dinheiro da minha mãe ia todo para as contas e compras de mês, e do meu pai ia todo em bebidas e balas de café, que ele vivia comprando para mascarar o hálito de bebida".
Olá, pessoal! Como estão?
Meu dia está lindo! Afinal, hoje vamos conversar sobre o conto Bala de Café, uma das minhas leituras de julho, que digo que me deliciei (já a começar pelo nome! Hahaha).

Bala de Café é um conto da minha querida amiga, blogueira literária e criadora de conteúdos, Amanda Rocha, uma das organizadoras do Blog Sobre a Leitura. Aliás ,tem um bate-papo muito gostoso que ela participou por aqui e que super indico para que vocês a conheçam ainda melhor!

Bom, mas chega de muita conversa e bora para o que interessa! ;)


Título Original: Bala de Café

Autora: Amanda Rocha

Ano: 2019

Páginas: 11

Editora: Independente
Sinopse

Nesse breve conto, você conhecerá a vida de Natalie Lima. Uma futura fisioterapeuta apaixonada pela profissão que escolheu. No entanto, um acidente com seu pai alcoólatra pode mudar todo o rumo da sua vida. Venha acompanhar e se emocionar com a relação de Natalie e seu pai e ver o quanto nossas escolhas influenciam em nossa vida.


Natalie é uma jovem de 24 anos, estudante de Fisioterapia.
Passava uma vida de sufoco junto de sua mãe desde a infância, por conta do alcoolismo assombrar a vida de seu pai e, consequentemente, a dela e à sua mãe. 

Devido a essa doença que afrontava a sua família, a personagem cresceu sem tanto contato com seu pai, embora morassem juntos. O que os aproximava, na sua tenra infância, eram as balas de café que ele deixava sob sua cama e que ela, muito jovem, acreditava achegar-lhes.

O tempo passou e Natalie cresceu. Quando estava no terceiro período da faculdade, ele sofreu um acidente, o que mexeu com a vida dela bruscamente. 
  • Iria esse mal, em princípio, contribuir de alguma forma em aproximar-lhes?
Uma narrativa intensa e direta da personagem, mas que não cansa o leitor. Ao contrário, nos traz ainda mais vontade de ir se achegando à trama que cerca Natalie, a luta de seus pais contra o alcoolismo e a relação do enredo com as balas de café.
"Fui no mercadinho ao lado da minha casa e comprei várias delas. Passamos a tarde toda comendo balas de café e rindo com um filme antigo que passava na televisão. Que bom que ele está vivo".

Com uma história de luta por superação de uma  psicopatologia muito próxima da realidade de várias famílias que buscam ajuda e nem sempre conseguem superá-la, Amanda Rocha, aqui revelando seu lado de escritora que muitos de nós não conhecíamos, nos envereda de forma bonita ao nos revelar uma narrativa tocante, reviravolta surpreendente, sentimentos de frustrações, tristezas, arrependimentos e aquela sensação de "e se eu", que muitas vezes nos pegamos pensando e dizendo.

Sobre a autora

Amanda tem 30 anos e sempre foi apaixonada pelas palavras. Seja em livros, HQs, legendas ou em letras de músicas.
Quando criança se aventurou em alguns poemas e no Ensino Médio participou de seu primeiro concurso de poemas na escola, com o tema de meio ambiente, ficando em quarto lugar.
Deixando os livros um pouco de lado para se dedicar a artigos, Amanda se formou em Farmácia, mas sua paixão pelas letras falou mais alto ao terminar a graduação. Criou o blog "Sobre a Leitura" onde ela mostra seu retorno aos livros, incentiva a leitura e testa seus conhecimentos de design. 

Com uma mente sempre trabalhando à mil em diversos projetos e sonhando com mais mil, ela viu em um concurso literário no Facebook uma forma de retornar às palavras escrevendo o conto de drama "Bala de Café". O conto ficou em terceiro lugar, no entanto, a promessa de premiação, que era ter o conto publicado em uma coletânea, nunca se cumpriu. Agora, mais de 4 anos depois, o conto foi postado no KDP para alcançar novos leitores.

Gostaram da pedida de hoje?? Querem adquirir?? Garanto que não irão se arrepender! 

Por hoje é isto, pessoal!
Beijos literários!


6 comentários

  1. Ana, minha amiga!

    Eu nem consigo colocar em palavras a gratidão e emoção que estou sentindo com essa resenha. Tanto carinho em cada palavra, cada quote selecionada e as fotos?? Simplesmente apaixonada!
    Fico muito feliz que tenha lido meu conto, gostado e captado bem a essência dele.
    Em breve é minha vez de conhecer seus dotes de autora também, mas só pela qualidade de suas resenhas e alguns textos que já vi, sei que serão maravilhosos!

    Beijos e muito obrigada!
    Amanda Rocha

    ResponderExcluir
  2. Achei bem legal a temática do conto, alcoolismo é um assunto delicado e ao mesmo tempo tão comum! Gostei muito da reflexão que você propôs logo no começo, sobre o quanto nossas escolhas influenciam nossa vida. É uma coisa até óbvia, mas acho que nem nos damos conta disso, seja pela correria do dia a dia seja por decidir fazer as coisas no modo automático. Enfim, fugi um pouco do tema, mas sobre a história fiquei curiosa para saber como foi o acidente e como ficou a relação da Natalie com o pai depois disso.

    ResponderExcluir
  3. Olá, não sabia que a Amanda escrevia. Eu conheço o blogue dela, aliás, acabei de vir de lá. rs
    O título do conto é bastante interessante e a temática é das mais delicadas, já que esse assunto não é nada fácil de lidar.
    Fiquei curiosa para saber como, dentro de um conto, ela propiciou uma reviravolta, já que isso é pouco comum nesse tipo de narrativa. Um conto costuma ser em linha reta, narrativa simples, sem arcos para reviravolta. É um objeto novo.
    Mas, estou enlouquecida aqui com os trabalhos do segundo semestre, não dá para ler agora. Vou marcar aqui no post it para não me esquecer e ler nas férias (espero tê-las ainda esse ano). rs

    bacio

    ResponderExcluir
  4. Assunto super interessante pois é sempre difícil decidir diante de decisões que são afetadas por fatores além de nossa escolha ou gosto. Mais um para a lista :)

    ResponderExcluir
  5. Resenha maravilhosa!
    Esse conto da Amanda foi uma grata surpresa e uma experiência que me levou a várias reflexões.
    Gostei de saber suas impressões e devemos dizer a Amanda que queremos mais!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Bom o que me chamou primeiro foi o nome pois aqui amamos um café e as balas também, porém lendo a resenha percebi que o tema do livro está ligado de forma bem forte com a vida da personagem do livro, é engraçado como coisas nos remetem ma momentos de nossa vida. Este assunto é muito interessante e acredito ser muito importante eu mesmo vivi experiência parecida com alguém de casa durante minha infância e adolescência e sei como pode ser complicado. Mas muito necessário resolver questões assim para seguir adiante na vida, curiosa para ler! Beijos.

    ResponderExcluir