29/2019: #12MesesComClarice2019 - CONTO: A FUGA

"Não havia, porém, somente alegria e alívio dentro dela. Também um pouco de medo e doze anos".
Um certo medo, confusão mental, perda dos sentidos ao que se passa à sua volta...
... o que acontecera a esta mulher?
Seu casamento.

Ela estaria livre!


Uma mulher que vivera por doze anos com um homem que lha causava sentimentos singulares, de estranheza, de mudanças de pensamentos. Seria mesmo amor?

Perdida sim, porém reencontrando-se em vontades próprias, ela sente cheiros, a brisa, o mar e seu movimento, o sol, a chuva, a mansidão...

... suas reflexões...

... e ela ri! As coisas passam a ter encanto conforme seu novo olhar ao mundo à sua volta.

Após doze anos, passaria a dedicar-se à ela própria. Seus sentidos agora traziam-lhe novas sensações. Sinônimo de liberdade!
"Não posso ter raiva de mim, porque estou cansada. E mesmo tudo está acontecendo, eu nada estou provocando. São doze anos".

Em opinião de leitora, imagino essa mulher, personagem relatada por  Clarice, como alguém acorrentada por doze anos muito bem frisados ao longo de todo o conto, por sinal, mas que acorda num belo dia e decide quebrar as correntes, enxugar suas lágrimas e aliviar esse peso que a consumia, que era seu casamento.

E o navio, esse que a levaria para bem longe de sua vida fadada a um relacionamento de amargura e inquietude, aos poucos se afasta, se despede, e a deixa à maresia, transtornada e ansiosa pela vida que lhe é real.


O projeto #12MesesComClarice2019 tem sido uma linda realização em que eu, do Café com Leitura Blog, tenho tido a honra de participar junto da Fernanda, do Blog Conduta Literária, da Amanda do Blog Sobre a Leitura e do Gustavo, do Blog Leitura Enigmática!

O ano já está passando e tem várias outras resenhas aqui no "Café"de outros contos maravilhosos do livro Todos os Contos, de Clarice Lispector, e publicado pela Editora Rocco.

Já conhece? 
E o projeto, já conhecia? 
Leu o livro? E o que achou?

Me conte aqui! E nos acompanhem com o projeto #12MesesComClarice2019!
Beijos literários!

13 comentários

  1. Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
    Quanto mais leio sobre ela, mais quero ler. Depois outro para o meu móvel dos não-lidos e mudo de ideias… aiaiai
    Beijokitaz





    www.devaneiosdemissl.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Misss! Saudades, querida! tenho estado meio atrasada nos retornos por aqui e me colocando a pôr em dia.Com isso, a cada comentário que leio seu me sinto feliz! Clarice é minha inspiração na escrita, já deve saber disso, não é mesmo? Bjs

      Excluir
  2. Oie, amiga!!
    Esse conto foi intenso e se tornou um dos meus favoritos. O final me deixou com o coração apertado e repleta de reflexões.
    Adoro participar desse projeto lindo e ter a companhia de vocês. Obrigada!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cada mês me desvendo e reflito ainda mais com as leituras de Clarice, amiga! Leitura que me provoca, o que adoro! Grata pelo carinho e cumplicidade sempre! BJs

      Excluir
  3. Adoro esse projeto e saber a opinião de vocês a respeito de cada um dos contos.
    Esse, se não me engano, foi um dos primeiros que eu li e me incomodou o medo que ela diz sentir diante a escuridão. Mas é uma coisa minha, compreendo que as pessoas temam as forças naturais da natureza. Eu é que nunca as temi, pelo contrário, sempre fui uma tempestade e a noite sempre foi meu lugar... desde a infância.
    O que eu gosto nesse conto é o contraponto entre homem-marido-mar. Acho fantástico como são uma mesma coisa, causa de medo e liberdade em tempos distintos e quando tudo se afasta e ela fica a deriva é uma sensação de transição. Somos assim e Clarice sabia disso, ao escrever. rs
    Não é fácil...
    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Ler esse retorno de uma escritora que tenho aprendido a admirar como você só me dá mais certeza de continuar a ler e falar de Clarice, Lunna!E sim, somos assim, e é incrível como ela sabia nos desvendar! Bjs

      Excluir
  4. Clarice Lispector sabia descrever como ninguém os sentimentos inerentes a momentos da vida. A associação do casamento fracassado como uma prisão e do futuro deppis da separação como um barco sem rumo definido é muito poético e nos faz refletir. Uma autora singular realmente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sim, ela sabia mesmo! Isso mexe muito comigo!( Costumo dizer que ela escrevia pra mim, mesmo eu não tendo noção disso, muito menos ela! rs). Ela, pra mim, permanecerá nesse hall dos escritores singulares! Bjs

      Excluir
  5. Projeto muito interessante, sempre bom observar diferentes formas de interpretar situações. O tema desse conto deve ser inspirador para muitos e perturbador para outros rs. Infelizmente, casamentos que se tronam penitência são mais comuns do que se imagina e sempre acho válido abordar o assunto, seja para inspirar, instruir ou apenas agregar possibilidades. Cada ser deveria ter o direito de buscar a felicidade e é claro, ter mais responsabilidade principalmente quando as consequências afetam outras pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniel! Belas considerações, principalmente sob um ponto de vista masculino! Você foi certeiro! O direto à busca pela felicidade, com responsabilidade, sem afetar o outro, mas também com o apoio e o respeito a esses. Abraços!

      Excluir
  6. Oi, Ana!

    Tenho grande orgulho desse projeto! Estou conhecendo melhor a escrita de Clarice e esse conto em especial, me tocou demais.
    Inevitável não sentir empatia pela personagem principal ao ver o quanto ela se anulou em pequenas coisas.
    Até agora foi meu conto favorito e mal posso esperar pelo próximo.

    Beijos,
    Amanda

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o livro nem o projeto, ja li outros livros da escritora e são ótimos! O assunto do livro é muito bom, relacionamentos assim existem mesmo, pessoas q se anulam, vivem acorrentada num relacionamento.

    ResponderExcluir
  8. Oi! Que bom que te apresentei a ambos! principalmente neste ano, que é comemorado o centenário de Clarice! (Aliás, peço desculpas pela demora em responder!). Não dá para vivermos acorrentados a relacionamentos de espécie alguma mesmo. É tóxico! E Clarice abordava isso como ninguém! Grata pelo seu carinho! Volte sempre! Bjs!

    ResponderExcluir