28/2019: A SUTIL ARTE DE LIGAR O F*DA-SE

"Ligar o foda-se é encarar os desafios mais assustadores e mais difíceis da vida e seguir".

Você é otimista o tempo todo?
Acredita ser especial?
E se eu te dissesse que tudo isto  é balela?

É com essa chamada para ação, com estigma de convidar-lhes a encarar as situações mais adversas de peito aberto que os intimo a conhecer a resenha de hoje!


Título Original: A Sutil arte de Ligar o F*da-se

Autor: Mark Manson

Ano: 2017

Páginas: 224

Editora:Intrínseca


Sinopse:

Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço.
Coaching, autoajuda, desenvolvimento pessoal, mentalização positiva — sem querer desprezar o valor de nada disso, a grande verdade é que às vezes nos sentimos quase sufocados diante da pressão infinita por parecermos otimistas o tempo todo. É um pecado social se deixar abater quando as coisas não vão bem. Ninguém pode fracassar simplesmente, sem aprender nada com isso. Não dá mais. É insuportável. E é aí que entra a revolucionária e sutil arte de ligar o foda-se.
Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão.
Para os céticos e os descrentes, mas também para os amantes do gênero, enfim uma abordagem franca e inteligente que vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto. Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora.



Com conselhos práticos para a vida no dia a dia, em tom de irreverência e criatividade, embora com certas verdades, é que Mark Manson nos intima a racionalizar e enxergar o mundo de maneira um tanto diferente.

 Analisando as colocações do autor de maneira sensata, em A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, começamos a perceber que muitas vezes se faz necessário "dar de ombros" para o que é dispensável na vida. 
Fato é que, em boa parte da leitura, somos colocados a refletir sobre questões que nos são lançadas na face (ou jogadas na cara mesmo!), sutilmente.

A cada início de capítulo, com ludicidade proposital, Mark Manson traz histórias com o intuito de exemplificar o tema que irá abordar, e logo em seguida nos faz parar para pensar sobre assuntos diversos, relacionados e bem próximos ao cotidiano de cada um de nós, como:
  • dores;
  • perdas;
  • confrontos diários e como encará-los;
  • felicidade;
  • tentativas e erros.
"O sonho é imenso, e a escalada até o topo é interminável. O que levei muito tempo para descobrir é que eu não gostava muito de escalar. Só gostava de me imaginar no cume".
Um livro que para muitos é considerado de autoajuda, para outros, nem tanto, o que até sugere desde o seu lançamento certa polêmica, talvez pela audácia em suas colocações, mas que trata de conteúdos pertinentes às rotinas das pessoas, com propostas de superação diária em seus conselhos e sugestões para levarmos a vida de maneira melhor.



Um ícone de vendas, aborda crescimento pessoal, autoestima, crenças, superação e aprender a dizer não enquanto fortalecimento e base de relacionamentos, sendo assim contribuições  relevantes àqueles que se dispõem a ler A Sutil Arte de Ligar o F*da-se.
"Se você acha que em algum momento terá permissão para parar, infelizmente não entendeu nada. Porque a alegria está na subida."
Lendo cada história contada pelo autor de forma a exemplificar os tópicos que aborda em seu livro, me peguei a pensar que em tão pouco tempo parece ter vivido tantas coisas...
...mas aí eu pensei:  

Peraí, todos nós temos muitas histórias de vida a relatar, com a diferença que muitas vezes não percebemos, não nos atentamos, ou não nos importamos, e acabamos valorizando mais as do outros à nossa volta.



E Mark Manson fala ainda da morte e das concepções acerca do medo que muitos têm, bem como da dificuldade em aceitação, comparando tais atitudes e as mudanças que podemos realizar em nossas vidas e nas das pessoas ao nosso redor. E nos faz, mais uma vez, parar para pensar:

Deixaremos um legado?
"Dizem que o bater das asas de uma borboleta na África pode causar um furacão na Flórida; pois bem, que furacão sua passagem pelo mundo causará?"
Quando fechei o livro, tive uma certeza: me senti revigorada! Cada proposta trazida me fez pensar muito, pois embora muitos olhem de forma diferente para esta linha literária, eu já vejo o oposto: tento aprender algo com experiências exteriores à minha vivência, porque alguma lição sempre há de se tirar, em qualquer tipo de leitura. Com isto, me reavalio. E penso que é aí que está a grande sacada desse contexto literário. 

Minha mente deu uma espécie de looping, me fez trazer à tona meus objetivos, atuais e futuros, além de relacioná-los às minhas intenções passadas.

Estive no caminho certo? E estou agora? O que posso fazer para mudar? Porque soluções hão de existir!

Um ponto que achei muito válido ainda foi que o tempo inteiro Mark Manson aguça nossa atenção para a importância da construção de valores, e diz que "valores são a base de tudo que somos e fazemos" (página 81).

E nos deixa uma bela mensagem de incentivo: que não somos especiais, mas incríveis. Pelas decisões _ certas ou erradas _ que venhamos a tomar, mas que dependem dos preceitos e do ponto de vida de cada um.
"Você já é incrível, perceba você ou não. Mesmo que os outros não percebam".
E aí, me digam: O que acharam da proposta de Mark Manson? Vocês já leram livros de autoajuda? Quais? E o que acharam? Tiraram alguma lição com as leituras? Quero saber!

Por falar nisso, aqui tem uma postagem sobre o tema! Bora conferir!? ;)

A propósito, para quem não leu e quer adquirir, segue um link de venda que muito irá ajudar no crescimento do "Café"

A gente se vê por aí!

Beijos literários!!!

14 comentários

  1. Oiii tudo bem????

    Acredita que não cogitei a ler esse livro, foi um dos mais vendidos e eu simplesmente não me interessei. O tema é realmente interessante, mas lendo sua resenha comprovei o que já imaginava, segue a mesma receita de todos os livros de auto ajuda :/.
    Infelizmente, vou passar essa leitura.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  2. Esse livro virou uma febre aqui no Brasil. Todes queriam ler, principalmente pelo título que já chama a atenção logo de cara kkkkk. Amei a sua resenha. Nunca gostei muito de livros de autoajuda, pois sempre associei a coaching (que na minha opinião, MINHA, é uma "profissão" bem inútil). Porém, o livro até que parece ser bom, quem sabe eu não leio ❤❤❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  3. Faz um bom tempo que não leio nada no estilo, acho que acabei me afastando um pouco de leituras assim, mas nem sei explicar porque. São as fases da vida.
    Mas esse chamou minha atenção e durante esse tempo tive muita curiosidade de saber mais e sua opinião é ouro pra mim hahaha.
    Gostei e me interessei. E como falou todo tipo de leitura traz um ensinamento. Dica anotada!!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Pelo jeito esse livro nos ensina a tomarmos atitudes corretas e de forma inteligente, controlar nossa inteligência emocional e sabermos levar nossa vida sem muito stress. Não curto auto ajuda, mas confesso que esse livro eu fiquei interessado e daria uma chance para sua leitura.

    ResponderExcluir
  5. Engraçado que esse livro está na minha estante há meses, talvez desde o ano passado mas ainda não li. E toda vez que vejo um resenha dele,me animo e da vontade de ler, mas nunca sai das primeiras páginas. Nem sei porque, porque não me desagradou, mas eu acabo deixando de lado depois de alguns dias. Quanto a auto ajuda, eu não gosto nem desgosto. Isso quer dizer que eu já li alguns realmente muito bons e outros que achei um amontoado de baboseiras.

    ResponderExcluir
  6. Sempre tive muito interesse em ler esse livro, está na minha lista há tempos...
    Vou tentar fazer essa leitura em breve pois realmente achei interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Apesar de não gostar nem um pouco desse título, esse livro traz alguns conselhos práticos, úteis para nosso dia a dia, seria um livro que leria sim com certeza. Parabéns pela resenha, bjusss e bom domingo.

    ResponderExcluir
  8. Realmente, parece ser um livro que ensina a encarrar situações diversas. Ótimo poder conferir a sua resenha e além de conhecer o livro melhor, também saber do que vai se tratar. Confesso que tenho visto várias coisas falando sobre esse livro, mas nunca cheguei a ler. Fiquei curiosa.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Conheço a Fê (esposa do Mark) a bastante tempo e achei incrível quando ela compartilhou o lançamento do livro. As pessoas têm um certo preconceito quanto aos livros de autoajuda. Mas acredito que o importante é saber escolher. Como diz minha mãe alguns "chovem no molhado" e não trazem nada de novo. Outros, no entanto, são ricos em experiências. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  10. Estou com este livro na lista de 2019 e estou super ansiosa para começar a ler <3 Amei o post, super caprichado <3

    ResponderExcluir
  11. Já me indicaram esse livro, mas ainda não tive a oportunidade ler.
    Amei sua resenha, pois me deixou super curiosa em conhecer a história. Arrasou no post.

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem??
    Você acredita que temos a resenha desse livro lá no blog, a Gre leu e amou, eu fiquei de ler logo em seguida mas até agora nada...
    Lendo a sua resenha a vontade voltou...
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Esse livro virou febre por aqui, me lembro que muitas amigas minhas andavam com eles por aí e citavam frases dele de tempos em tempos. Mas eu não curto o gênero, embora o considere essencial para determinados grupos sociais, principalmente os que não tem coragem num primeiro momento de buscar ajuda, esse tipo de leitura acaba sendo um caminho para entenderem que não se trata de coragem e sim de necessidade e que há coisas em nós que podem ser solucionadas, só basta expor para pessoas certas que não irão nos julgar ou condenar.
    A realidade anda cada vez mais tóxica, cheia de pessoas cheias de razão e dispostas a apontar o dedo, mas também existem as que fazem exatamente o contrário disso.

    bacio

    ResponderExcluir