BATE-PAPO COM O AUTOR BERNARDO STAMATO

Olá, cafeinados! Como vocês estão?
Já faz algum tempinho que eu não convido vocês para bate-papos poderosos aqui no "Café"  e penso que já não dá mais para adiar! Afinal, o último foi em 12 de janeiro desse ano, com o autor Raphael Fraemam, da saga Krystallo , que aliás tem resenha aqui no blog. Foi, inclusive, a primeira resenha do ano de 2019! 
Ficam aí  então boas dicas de leituras e entretenimento: a resenha do livro Krystallo - Jornada para Além das Fronteiras e o bate-papo com o autor da obra.
Bom, mas vamos deixar de muita conversa e irmos ao que de fato interessa no dia de hoje!
Em primeiro de abril desse ano eu apresentei para vocês a resenha de um livro que eu li no ano passado, mas que só postei minhas impressões esse ano por conta de aguardamos a publicação do material, que aliás não nos decepcionou: eu falo de A Era do Abismo, do autor Bernardo Stamato, que foi publicado pela editora PenDragon
Foi uma leitura deliciosa, que recomendo a vocês!
Fiquei muito feliz com o resultado da resenha!
Como Bernardo sempre foi muito atencioso, achei que vocês gostariam de conhecê-lo mais um pouquinho. Por isso, hoje ele está de volta para uma conversa bem bacana! 
Me acompanham?!




1. Como você descreve o Bernardo Stamato cidadão? E o escritor?

Um cidadão um tanto inconveniente e bem convicto em seus maus hábitos. E um escritor dedicado e criativo, que busca contar novas histórias e realmente dedicar seus esforços e sua autenticidade em cada palavra.

2. Como veio a ideia de apresentação dos conteúdos contidos em seu Instagram Literário, o Mochileiros do Multiverso?

Foi tudo bem caótico, na verdade. Eu tinha um canal no YouTube chamado Nerd & Louco e criei um Instagram para o canal. Depois fiquei sem tempo para o YouTube, mas Instagram exige relativamente bem menos esforço, então continuei por lá até que ele bombou de forma que o canal nunca conseguiu. Não cheguei nem a mil inscritos no YouTube e agora tenho 13 mil seguidores no Instagram. Com o tempo, vi que o projeto Nerd & Louco estava limitado e decidi expandir as fronteiras. Mudei o nome para Mochileiros do Multiverso e agora estou planejando novas iniciativas, desde um retorno ao YouTube (quero editar um vídeo hoje ainda) até lançar uma revista digital, cursos online, entre outras ideias.

3. Como surgiu a vontade de escrever?

Eu sempre gostei de contar histórias, mas repetia para mim mesmo que as chances de ser um escritor profissional são muito improváveis, até que a Devir lançou um concurso cultural de contos ambientados no cenário de RPG Mundo das Trevas. Essa história é um tanto longa, eu contei em detalhes no artigo "A Era do Abismo: Como Nasce um Escritor?" para quem quiser conferir, mas posso dizer aqui que tomei a decisão de ser escritor depois desse concurso.

4. Antes de "A Era do Abismo" você já havia se dedicado a algum outro projeto literário? Se sim, qual?

Eu tive um hiato de um ano entre o concurso de contos Eu, Criatura e criar um blogue para postar novos contos. O primeiro conto desse blogue foi narrado por Draco, um dos protagonistas de A Era do Abismo: O Torneio dos Campeões - mesmo que o título da saga e os detalhes sobre o mundo ainda estivessem há alguns anos de serem elaborados. Nesse blogue, eu criei também outros personagens, como Gladius, Zhi Wu e Rosa, e também escrevi alguns contos de terror, mas decidi me dedicar mais à fantasia medieval. Com certeza retomarei algumas ideias desses contos de terror no futuro, mas no momento o foco é A Era do Abismo.

5. De onde veio a inspiração para todo o processo de criação do livro "A Era do Abismo"? Você se inspirou em algo, ou alguém? 

Eu tive a ideia do elenco e do mundo em momentos separados e então decidi juntar as duas coisas e ambas vieram de videogames que eu jogo. Eu busco inspiração nos escritores de fantasia nacional, como Eduardo Spohr, Leonel Caldela, Affonso Solano e Enéias Tavares, e busco as ideias dos personagens, cenários e enredos em outras mídias, como cinema, séries e jogos. Gosto de pensar fora da caixa e experimentar ideias que nunca vi na literatura, mas desenvolvo minha escrita e meu estilo inspirado em grandes autores para garantir uma leitura prazerosa.

6. Como foi a criação dos personagens de seu livro? Você possui algum favorito?

Como disse, alguns já existiam no meu antigo blogue de contos, como Draco, Rosa, Gladius e Zhi Wu. Quando decidi usá-los no livro, complementei o elenco com dois novos personagens, Marcus e Ravenlla, mais baseado nos arquétipos que estavam fazendo falta na história. Um caso à parte foi o Alberich porque ele é um anão que começou como um humano chamado Thompson desde a época do blogue. Só depois que eu escrevi o livro inteiro usando o Thompson que decidi mudar o personagem e criei o Alberich que temos hoje.



7. Como foi a proposta de publicação do pela Editora PenDragon?

A Pendragon tem um modelo interessante de publicação, não é nem a proposta típica que a maioria dos autores novos aceitam - que envolve basicamente o autor arcar com todos os custos sozinho, o que considero obsceno -, mas também não é uma proposta sem riscos para o autor, afinal só quem é mimado pelas editoras são os grandes youtubers, pastores, políticos e afins. Sinceramente, considero o modelo da Pendragon o melhor de todo o mercado editorial brasileiro.

8. O livro possui imagens lindíssimas! Você auxiliou de alguma forma também na preparação das ilustrações?

Eu encomendei - e banquei - as ilustrações dos personagens. Quando fechei contrato com a Pendragon, fiz de tudo para o mesmo artista fazer a capa e foi uma das melhores decisões que tomamos. Eu supervisionei cada detalhe das artes e continuo supervisionando novas artes que divulgarei em breve - tanto novas artes do elenco do primeiro livro, O Torneio dos Campeões, quanto a capa do próximo, que já está em produção.

9. Bienal do Rio 2019. O que tem a nos dizer? ;)

A Era do Abismo: Crônicas do Éden.

10. Há novos projetos em vista? Pode nos adiantar um pouquinho?

O novo livro será uma coletânea de contos e se passará antes dos eventos do primeiro. Não é diretamente conectado, é um "spin-off" na verdade. Não quero escrever sobre um único elenco numa única história para que os leitores estranhem quando eu quiser falar de outros personagens, outros lugares e outros eventos, então estou construindo minha narrativa "na horizontal". Ou seja, não é uma história linear, são várias histórias que se passam durante a tal Era do Abismo.

11. Teria algum recado ao seu público-leitor e àqueles que ainda não conheceram seu trabalho?

Posso dizer que a primeira tiragem de A Era do Abismo já esgotou e que estamos caminhando a passos largos para sermos a próxima saga bestseller da literatura fantástica no Brasil. Quem quiser fazer parte dessa jornada terá a oportunidade de ler uma história épica e depois me procurar para me dizer sua opinião sincera e impiedosa. Adoro conversar com meus leitores, até mesmo para saber o que fiz de certo no primeiro livro, o que fiz de errado e como posso atender suas expectativas para os próximos livros.



Nossa, mas que jovem dedicado! E o mais bacana: projeta e busca fazer de tudo para que seus ideais se concretizem! Admiro muito pessoas assim!
Sobre o novo livro, já estou ansiosa por tê-lo em mãos! Hahaha!
Sobre a Bienal, espero muito poder conhecê-lo, pois estarei lá!!!

E aí, minha gente, o que acharam desse super bate-papo? Bernardo parece uma pessoa super gente boa, interativa, dinâmica e que batalha para alcançar seus objetivos! Não é a toa que seu livro é um sucesso! 

Vocês já leram A Era do Abismo ? E o que acharam?
Conhecem o instagram literário do autor? Como pudemos ver aqui, Mochileiros do Multiverso é um sucesso! vale a pena segui-lo!
E por falar em valer a pena seguir, aproveitem para seguir  as redes sociais do Café com Leitura Blog que tem muita coisa boa na área e novidades por virem! 

Beijos literários!

4 comentários

  1. Trabalho lindo! Eu também admiro pessoas assim!
    Gostei muito de saber mais do Bernardo e desejo todo sucesso sempre.
    Parabéns, amiga pelo maravilhosos bate-papo.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, é?! Me assemelhei muito ao Bernardo, por batalhar pelo que deseja, não ficando apenas em sonhos!Durante a leitura do seu livro, na época ainda não publicado, conversávamos bastante! Super gente boa! Não tinha como não trazer uma conversa bacana para vocês aqui!Que bom que foi de seu agrado!
      Beijos!

      Excluir
  2. Adorei essa entrevista que fez com o escritor e estou demasiadamente curioso em ler essa obra, pois é o estilo literário que gosto muito. Parabéns pelo agradável bate papo, onde pude conhecer mais uma mente brilhante do nosso país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, Gustavo, eu bem sei que é o seu estilo! Você irá adorar, pois a leitura é ótima! Ele escreve super bem! Obrigada pelo apoio de sempre!
      Feliz Páscoa!

      Excluir