14/2019: POEMAS SOBRE O AMOR (OU NÃO)

"Com quatro letras, rasgo a lógica do cotidiano, emolduro esse retrato, sem tinta e sem pano..."

Oi, oi, como estão? Que forma mais linda de se falar de amor, não acham? E é assim que vamos nos identificar com o trabalho de hoje aqui no Café com Leitura Blog, através da poesia de um autor parceiro que creditou em meu trabalho a confiabilidade de ler seu projeto, saber dos bastidores da pré-publicação, o que me deixa lisonjeada. Bora falar de poesias??






Título Original: Poemas Sobre o Amor (ou não)

Autor: Saulo Mazagão

Ano: 2019


Páginas: 80

Publicação Independente



Palavras tão bem ditas,
palavras ressaltadas,
palavras engendradas.

Os poemas de Saulo saltam dos nossos olhos direto ao coração,
e conseguem alcançar a alma!
daqueles que amam
e creem que a vida não é tão simples.
Fato.
Entretanto, bela.




Lendo cada verso, senti a noção da poesia,
vivi o êxtase de cada emoção 
intencionalmente ou não, por ele ali, em sua obra, 
a nós leitor passadas.


67 são os poemas.
Versos diversos.
Palavras? 
Essas não ouso descrever!
Emoções, reflexões...
... Isso sim!
.
"Poderia eu escrever", como o poeta neste livro nos diz
sobre as mais diversas formas de amor
e as mais adversas formas de expressão.
Sensação,
solidão.
Por que não?


Sei que Saulo 
em mim despertou esse desejo
da escrita,
das palavras,
afloradas
até desajeitadas,
almadas...
... desalmadas.




Sonoridade que pulsa
e faz saltar notas,
buscar devaneios
noturnos, diurnos...
... pouco importam!

"Navegar na alma",
me disse Saulo,
o poeta,
sem nem mesmo perceber.

Domingo,
segunda-feira,
terça-feira,
quarta-feira,
quinta-feira,
sexta-feira,
sábado...
... E tudo começa outra vez!

Confusões,
medos,
certezas nunca antes certas
Incertezas corretas!



E aí, gente? O que estão achando? 
Bom, preciso dizer que Poemas sobre o Amor (Ou não)  foi um dos livros lidos em março. Um super presente que recebi do Saulo, um querido parceiro que tive o prazer de conhecer nas redes sociais do Café assim que iniciei o projeto literário. 
Tive a honra de acompanhar alguns detalhes do processo de publicação de sua obra a medida que ele ia me dando o privilégio de saber de novidades, da sua ânsia por ver seu trabalho lançado.
Saulo escreve poesias enquanto uma dádiva, com espírito aflorado, amor e alma!



Sobre o autor:

Saulo R. Mazagão nasceu em em Pará de Minas em 1987, mas hoje vive em Bom Despacho. Iniciou o gosto pela literatura nos meados de 2006, escrevendo poemas na época do colegial, na Escola Estadual Miguel Gontijo.
Psicólogo, motociclista,  aspirante a escritor, publicou alguns poemas em parceria com outros autores, em forma de coletânea.
Exercendo um tipo de escrita rica em detalhes, apreciador do cotidiano, dos tropeços, percalços e caminhos, é um grande admirador da vida.
Mantém  atualizações diárias em seu Instagram.



Bom, eu espero que tenham gostado da minha ousadia de brincar com a resenha, colocando-a aqui em forma de poema. 
Foi pura inspiração ao ler o livro dentro do carro certo dia pela manhã. Enquanto lia, as ideias surgiam e eu confesso que curti muito!

Beijos literários!


10 comentários

  1. Amiga!
    A resenha ficou maravilhosa e eu fiquei encantada com essa indicação.
    Vi no ig e já deixei anotado, pois sou uma apaixonada por poesias.
    Parabéns pelo lindo trabalho!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga! se gosta de poesias, de fato irá se envolver sem sentir nas palavras de Saulo! É só adentrar! Bjs, amiga linda!

      Excluir
  2. Oi Ana
    Adorei a resenha em forma de poema. Parece ser um livro belíssimo, que trata as palavras com o respeito que elas merecem.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh, você gostou!!?? Que bommm! Há leituras que me dão essa liberdade, me arrisco a dizer, poética, de trabalhar! e o livro de Saulo foi uma dessas!
      Feliz por estar aqui!
      Beijocas!!!!

      Excluir
  3. Que resenha mais graciosa, adorei a ideia de transformá-la em poesia, transmitiu bem o clima do livro, que aliás parece ser uma delícia, muito delicado e gostoso de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu também amei essa possibilidade de brincar com as palavras, que aliás é uma das coisas que me fascinam na poesia! Bom te ver por aqui! Bjs

      Excluir
  4. Que post mais lindo, ele transmite uma sensação de paz imensa. Essa obra parece ser magnífica, anotei a dica. Seu blog está muito lindo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, amigo! Que bacana saber que trouxe essa leveza com os poemas de Saulo! Abraços!

      Excluir
  5. Boa noite, cara mia...
    Poesia é uma coisa curiosa, ou fica na pele ou se perde. Eu acho engraçado que muitas pessoas que leem o que eu escrevo, falam que acham interessante a minha poesia... e eu sempre fico em suspenso porque embora seja uma leitora de poemas. Eu não escrevo poesias e não sou boa com rimas.
    Eu tinha um amigo que rimava frase a frase naturalmente e eu dizia que ele parecia um construtor de casas. Ele ria e me mandava para algum lugar distante. hehehehe
    bacio

    ResponderExcluir
  6. Poesia traz a mim uma beleza que encanta e amortece! Assim como não é diferente com a sua escrita, que é linda, suave e natural aos olhos de quem lê!Feliz por te ver por aqui!
    Bacio!

    ResponderExcluir