04/2019: OS CINCO DO CICLO


"Toquei em troncos, olhei velhas raízes e admirei as copas. Com certeza eu te digo, nosso líder: A vida persiste em Keltoi".

Olá, como estão? Eu estou ótima! É que hoje trago para vocês uma narrativa de cunho épico! Sabem aquelas histórias que lemos e nos vemos assistindo a filmes de bons homens e histórias de crenças e luta por seu povo?É o que lhes apresento como conteúdo com a obra Os Cinco do Ciclo, do escritor Elias Flamel.

Me acompanham? ;)




Título Original: Os Cinco do Ciclo

Autor: Elias Flamel

Ano: 2017

Páginas: 556

Editora: Independente

Formato: Digital


Sinopse:

Yosef de Keltoi. Presenteado na infância, por uma de suas mães, com um tesouro de muitas páginas. Cresceu com pouco, encontrou o seu amor e ao lado dela teve que instigar uma revolução entre trabalhadores do campo. Sua vitória não foi perfeita, pois falhou contra os deuses que tanto venerava. Assim, o líder de uma vila pequena, e quase oculta entre os quatro cantos do mundo, vive o começo da sua velhice. 

Não reclama de ter vivido muitos ciclos e é servo de um império que pintou de rubro nações que ousaram ser grandes. Sempre preocupado com o seu povo e com a sua família. Qual vem primeiro? É uma pergunta que necessita de tempo e páginas para ser respondida. Hitalo, o mais velho dos seus filhos, exige mais firmeza com os homens do campo. No auge da juventude, o divertido e criativo Yohan deseja provar para o seu pai que é um homem feito. Morgiana, companheira de luta, enxerga muito além do que os olhos podem ver e deseja alertar o seu amado Yosef a respeito de algo muito difícil de fugir. 

Yosef parte para Numitor, sua viagem tem como destino a capital de todo o império, lar dos homens de togas brancas que praticam um culto conhecido pelas eras. E esses mesmos homens possuem legiões em seu poder. Era para ser somente mais uma viagem dos tributos, mas o homem comum ouve boatos que colocam em risco o seu lar, a sua cultura e as suas crenças. Uma ajuda é mais que necessária, mas aqueles que são os mais poderosos e dotados de uma sabedoria milenar começam a pedir socorro. Só Yosef, o líder, pode salvar o que tanto ama.

Ao tentar, é exposto o seu passado manchado, ele reencontra velhas amizades e conhece desejos guardados dentro do peito de um dos seus filhos. Sua vontade de ter o que tanto deseja fará Yosef se embrenhar pelas ruas do império. Será preciso conviver com ladrões, fardados de rubro, uma sociedade que ama a prata e o ouro e terá de lutar até mesmo contra a fúria da natureza.


Yosef  é casado com Morgiana. É pai de Hitalo, Yohan e Julian.
É o líder de Keltoi, um vilarejo onde todos têm notável respeito e gratidão por sua família.

Yosef de Keltoi é um bom homem. Porém, como todo bom líder, muitas vezes têm suas atitudes avaliadas, e até mesmo questionadas. É visto por seu povo como sábio e leal a todos. Um completo apaixonado por sua esposa Morgiana.

Seu povo, assim como sua família, exalta e é grata aos deuses. Rezam e buscam orientações aos "Cinco do Ciclo" de forma a obterem uma boa colheita de centeio.

Seu filho Hitalo é o mais velho. Contido, não perde o tom altivo. Yohan é o filho do meio. É o mais brincalhão, enquanto Julian é o caçula, ainda um bebê.

A sobriedade de Hitalo aponta, através de números e da perfeição de seus cálculos e anotações, que os impostos lhes são, a cada ciclo, a cada colheita, cobrados em valores gradativamente mais altos por Numitor, considerada a grande capital controladora do mundo.

Em Numitor, o líder de Keltoi vivencia alguns fatos que mexem com suas reflexões acerca de fé, cultura e religião.

Ora, sua crença nos Deuses do Ciclo era imensa e verdadeira. Entretanto, confronta-se com a possibilidade da existência de um Deus único.
"Cultura e religião são dádivas a nós fornecidas, para não sermos somente sobreviventes."
Mesmo tentado, e esperando um mal assombrar a qualquer instante o seu vilarejo, o líder de Keltoi decide esperar por concluir-se o festival em comemoração ao período da colheita e finalmente ir de encontro com seus pesadelos e dúvidas relacionadas ao monoteísmo, partindo também em prol da conservação de seu povo.

Vive aventuras diversas, assim como mantem os mais distintos sentimentos: 
  • saudades de casa, de seus familiares... 
      ...de sua esposa...
  • perdas;
  • curiosidades (ou quem sabe tentações).
Tudo com o intuito maior de buscar força e apoio para, segundo ele, salvar os Deuses ao qual creem, além de permitir que seu vilarejo resista e perpetue.
"Esses nossos deuses são muito grandes, meu menino".

Há por parte do protagonista uma grande preocupação com a "quebra de seus ciclos".

  • Seria temor, ou crença?


"Mais uma vez rumo em direção da porta, desta vez sem nenhuma sensação ou pensamento para me barrar. Como de costume, passo a ponta dos dedos nos poucos livros. Espero que as histórias e a sabedoria me acompanhem neste novo dia".

Algo que observei enquanto leitora desde o princípio da narrativa de Elias Flamel é a importância e o respeito que seus personagens têm pelos livros e pelo conhecimento. Ainda sobre eles, um em específico aguça a curiosidade de Yosef ao longo da trama, o que provoca-lhe sonhos, pesadelos, insônia e uma ânsia por desvendá-lo.

  • Que livro seria esse?

Bom, parece que esse e outros mistérios ficarão para a continuidade de Os Cinco do Ciclo!

Se vocês gostam de histórias com crenças, mitologia, transições (religiosas e filosóficas), historicamente falando, sem objeções e/ou opiniões pessoais, esta eu lhes indico! 

Elias Flamel nos apresenta um universo de impérios, construções, tributos, apreciação pelo conhecimento de maneira heroica, notável e epopeica. 

Alguns personagens me cativaram: 


  1. Yosef e o seu dom de liderança e benevolência;
  2. Morgiana, sua esposa, uma mulher forte e respeitada;
  3. Lucien, o livreiro.
Posso dizer ter sido uma leitura muito gostosa, que fluiu de maneira tranquila, me prendendo do início ao fim.

Elias Flamel  usou de melodia nas palavras, além de ter demonstrado estudo dos trejeitos a serem utilizados pelos seus personagens, o que me cativou.




Você já leu Os Cinco do Ciclo, do escritor brasileiro Elias Flamel? Convido-lhes a se aventurarem por esse universo magnânimo que o autor nos propõe em sua trama!

Que tal conhecermos então notas do autor sobre sua obra?
"Quantos deuses já foram mortos?
Yosef e os Cinco a qual venera sempre estiveram ocultos dos quatro cantos do mundo. Entretanto, divindades podem pedir socorro e nos encontram nos locais onde temos mais conforto. Quem ameaça usa legiões de espadas curtas, com incontáveis vitórias em séculos de história. Só o velho Yosef pode salvar as suas divindades e a sua cultura. Ele tem a si, a sua posição como líder de uma humilde vila, filhos com quase a mesma idade, porém com pensamentos distintos, e uma companheira que deu a sua voz para instigar coragem em agricultores. Tudo isso é pouco em relação a um mundo sem fronteiras, que serve somente a uma cor.
Essa é uma release do primeiro volume e toda saga pode ser resumida em uma frase:
Yosef se tornará um deus e ele não pode impedir isso."
Maravilha, não é?
Já conhecem as redes sociais do autor?
Que tal conhecerem algumas?

Skoob     Instagram     Twitter     

E o que acham de adquirirem o livro?


Sobre o autor

Sou um no meio de tantos. Nascido em São Paulo capital, 29 anos, formado em designer, pós-graduado em escrita criativa e análise literária. Publiquei o meu primeiro livro Kriguerkan como Wesley Nunes, por uma pequena editora chamada Biblioteca 24 horas. O amadurecimento profissional me fez adotar o pseudônimo Elias Flamel na minha segunda publicação, realizada na Amazon.
Mesmo amadurecendo e tentando sempre ter mais intimidade com a escrita, não abandonei as paixões e as fantasias da infância, pois elas que moldaram a minha personalidade.

Aficionado por mitologia, desde a grega até a africana. Vejo genialidade em Hamlet e no Batman. Por tanto tempo esperei, e confesso somente para os íntimos que ainda espero a carta de Hogwarts (no mundo bruxo existe tanta coruja destrambelhada). É difícil, quase impossível não se inspirar com O Senhor dos Anéis, porém não quero imitar esta obra e sim aprender com quem a escreveu. Se estou com dinheiro, compro tudo que tenha em alguma parte o nome Alan Moore. Já vivi Cem anos de Solidão e ela pouco melhorou quando conheci o Admirável Mundo Novo. Enquanto aguardava o novo livro das Crônicas de Gelo e Fogo conheci Patrick Rothfuss e a ansiedade logo duplicou. Desculpe pelo excesso de palavras, antes de ser autor, sou um leitor e são raras as vezes que consigo parar de falar. 
Caso você tenha chegado até esta linha, muito prazer! Sou Elias Flamel e a probabilidade de nos tornarmos amigos é muito grande, pois você já me conhece muito bem. 

É isso, gente! Aguardo com carinho as opiniões de vocês sobre a obra e a resenha que preparei com amor!

Beijos literários!

8 comentários

  1. Olá, Ana Claudia!

    Que delícia de resenha! ♥️ E tão maravilhosa que quando chegou ao fim me deu saudade de ler mais e mais. Que bom que gostou tanto dessa leitura também e prestou atenção em cada pequeno detalhe, formou algumas teorias pelo visto e levantou algumas questões que em breve serão respondidas. ;)

    Parabéns!

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Feliz e lisonjeada por alcançar você com a resenha desse que foi um dos livros mais gostosos e bem escritos que li em janeiro!Grata por estar aqui comigo! Volte sempre! Beijos literários!

      Excluir
  2. O que dizer sobre essa resenha?
    Tenho a dizer que sempre passarei por aqui.
    Nos momentos de vitória voltarei para ver onde tudo teve o seu inicio...
    Nos momentos de tristeza voltarei para ver que nada está perdido...
    Voltarei, simplesmente voltarei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é poético demais para escrever, e isso toca a minha alma! Feliz demais por saber que atingi ao seu propósito! Quero mesmo ter a felicidade de lhe encontrar sempre por aqui! Grande abraço e gratidão por creditar em mim essa possibilidade linda de leitura!
      Ana Claudia

      Excluir
  3. Oie!!

    Que delícia de resenha!!
    Eu comecei a ler agora, estou um pouco atrasada.
    Fiquei super animada com suas palavras e esse mundo criado pelo autor, com certeza vai ser uma leitura bastante instigante.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amei, de verdade! Que bacana saber que está lendo, ou que, agora, no caso, possa até já ter concluído! Quero saber depois o que achou, viu? Beijocas!

      Excluir
  4. Um livro e tanto, uma mega história onde a magia e a força de vencer estão sempre presentes. Uma trama que recomendo a todos!!!

    ResponderExcluir
  5. U-hullll! Feliz por estar aqui, parceiro! Também recomendo a leitura! Privilégio para nós em estarmos em mais esse projeto juntos!

    ResponderExcluir