Menu

domingo, 23 de dezembro de 2018

RESENHA 26: O QUE OS OLHOS NÃO VEEM AS MEMÓRIAS CONTAM


"E quem foi que disse que é preciso ter olhos para amar alguém?"


Oi, oi, bookworms! Hoje comecei a resenha de forma diferenciada do que estou acostumada! Gostaram? Pois é uma frase que muito me chamou a atenção assim que li o livro ao qual iremos conversar hoje!

Que tal uma resenha apaixonante, que fala de amor além dos olhos, através da alma e do coração?

É o que hoje venho apresentar para vocês leitores, com a história O que os Olhos não Veem as Memórias Contam, da escritora brasileira Bruna Kuchenbecker.



Título Original: O que os Olhos não Veem as Memórias Contam

Autora: Bruna Kuchenbecker


Ano: 2017


Páginas: 225

Formatos: físico e digital

Editora: Livro Novo



Sinopse

Bianca é uma mulher que nunca entendeu o que é o amor, mas que estava sempre à sua procura. Em um momento da sua vida, ela conhece um rapaz chamado Rafael, mas devido algumas circunstâncias eles se desencontram. Bianca se casa com seu amor de infância, Marcus. E tem dois lindos filhos. Anos se passam e seu casamento perde as forças, a lealdade e o amor. Uma eventualidade terrível acontece na vida de Bianca e ela passa a ter que enxergar o mundo ao seu redor de outra forma.







Bianca é uma jovem que detalha sua vida para o leitor interagindo por toda a trama, perpassando por cada período da sua história. Essas memórias, narradas em primeira pessoa, nos conduzem a três notáveis e distintos momentos, conduzindo a quem lê por belas e também por tristes recordações.

Conta instantes da sua infância, o que nos leva a personagens marcantes ao longo da trajetória: sua mãe, suporte e base de sua criação, seu padrasto, que a apresentou ao mundo literário, Marcus, o primeiro amor, e que se  arrastou em suas vivências de forma singela e sincera, Benício, jovem italiano que morou no Brasil, ao qual viveu uma intensa paixão quando ainda bem jovem, além de uma triste perda que fortemente a marcou, e Diogo, para ela "Digo", seu melhor amigo, que trouxe dúvidas sobre os mais diversos significados do amor, e que a acompanhou por toda a vida.

Sonhadora, nos infere seus anseios, sua adoração por rímeis e o sonho de ir à Londres quando moça.

Adora fotografar, gosta de música eletrônica, ama ler e não gosta de estar só.



"Cheguei a uma fase da minha vida em que eu não queria crescer, estava assustada, queria ir para a Terra do Nunca, onde mora o Peter Pan. Reza a lenda de que lá você não cresce. Era esquisito porque tudo o que antes, quando criança, eu enxergava como um nada, naquela idade o nada se transformou em tudo."


Durante boa fase da narrativa, a personagem se mostra indiferente ao crescimento, mas no período em que resolve voltar para a sua cidade natal e fazer faculdade, percebe que, ao retornar para sua família em Brasília, nota o quanto amadureceu. E reencontra, oito anos depois, um outro personagem, que passou rápido pela sua vida aos dezesseis anos, mas que ressurge lindamente, e com certa intensidade dessa vez: Rafael...





Idas e vindas, amores e desamores, ganhos e perdas...
Um livro para quem gosta de romance, com toques de poesia ao olhar de quem se encanta com a leitura e também aos sentimentos de uma personagem que não se acanha, luta pelos seus ideais, vence e consegue superar derrotas, choros e tristezas. 

Bianca ergue sua cabeça a cada recaída, e consegue dar a volta por cima.

A história se resume em ciclos. 
Cada estágio da vida da protagonista sugere reviravoltas, em que o leitor tem a possibilidade de conhecer, por meio de relatos intensos, o que, diga-se de passagem, não torna a trama cansativa, pelo contrário. 

Por uma escrita leve e bem construída, aquele que lê O que os Olhos não Veem as Memórias Contam consegue agarrar-se ao sentimento de não desligar-se, para em seguida, conhecer, a cada instante, os novos acontecimentos  a estarem por vir.

Com toques românticos, clichês ou não, o que depende do ponto de vista de cada leitor, Bruna Kuchenbecker nos conduz de maneira plena a uma história linda, de leitura delicada, e que nos leva a reflexões acerca do que somos e queremos durante nossa jornada.




"Uma vez me perguntaram se eu já havia pensado em escrever um livro e eu respondi...

_ Pessoas como eu não escrevem livros. Fazem parte deles".





Uma bonita história, de relacionamentos, amorosos ou não, de muitos amores, cumplicidade e superação.

O que os Olhos não Veem as Memórias Contam faz parte da última edição do ano da Semana Adote um Autor Nacional em que o Café com Leitura Blog teve o prazer de participar!





Sobre a autora:

Bruna Kuchenbecker é estudante, escritora e amante da leitura. Aos 15 anos resolveu escrever seu primeiro livro. Sempre teve muitas histórias em sua mente, mas ainda não as tinha colocado no papel. 
"Neste primeiro livro, quero passar para os leitores que podemos encontrar o amor em qualquer pessoa e em qualquer lugar, mas que sempre vai haver aquele lugar e aquela pessoa que fará seu coração bater mais forte".


E aí, o que acharam da proposta da história? 
Gostaram da resenha?
Vocês têm duas possibilidades para adquirirem O que os Olhos não Veem as Memórias Contam :




Não é o máximo?
Querem conhecer mais da Bruna e sua rotina de escritora? Atentem-se às redes sociais da bela!


Instagram     Pinterest     Youtube     Skoob    Blog



Espero que tenham gostado!
Deixem aqui um carinho!
E sigam as redes sociais do "Café" !

Beijos literários!